quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Lendas e Glórias: Roberto Baggio

Baggio, avançado italiano nascido em 1967,  foi Bola de Ouro e Melhor jogador do mundo FIFA em 1993, atingindo o auge da sua carreira na primeira metade da década de 90 enquanto jogava na Juventus.

Formado no modesto Caldogno, destacava-se pela qualidade técnica e frieza na hora de finalizar (marcou mais de 300 durante toda a sua carreira). Não atingiu outro patamar muito devido às inúmeras seleções de que foi alvo. Marcou a sua carreira ao falhar um penalty na final do Mundial de 1994, frente ao Brasil, fazendo com que a Itália perdesse a competição. "O Rabo de Cavalo Divino" participou em mais dois mundiais (1990 e 1998). Após se ter estreado a nível profissional pelo Vicenza, partiu para a Fiorentina em 1985, realizando apenas 94 jogos em cinco épocas. Rumou para a Juventus depois da venda da Fiorentina, onde brilhou ao mais alto nível durante cinco épocas (1990 a 1995). Aí venceu um scudetto e uma Taça de Itália. Foi para o Milan, onde venceu o seu segundo campeonato italiano. Numa fase descendente da carreira, alinhou pelo Bolonha, Inter e Brescia. Aposentou-se com 38 anos, em 2004. Em sua honra, o Brescia, seu último clube, proibiu para a eternidade a utilização da camisola 10 por parte de jogadores do clube.

Nota Final: 18/20

Barcelona volta às vitórias

Barcelona 4-0 Rayo Vallecano
O Barça recebeu e derrotou o Rayo Vallecano numa partida antecipada da 17ª jornada da Liga Espanhola, deixando uma boa réplica no Camp Nou. Os pupilos de Pep Guardiola voltaram a mostrar que continuam a praticar melhor futebol que o arqui-rival Real Madrid quando jogam em casa (fora têm um registo quase desastroso). O Barcelona dominou a partida e venceu sem dificuldade. O extremo chileno Alexis Sanchéz bisou, David Villa também faturou e Lionel Messi adicionou mais um golo à sua conta. Será que o Barcelona ainda poderá relançar a época e ser campeão?

André Villas-Boas fora da Taça da Liga Inglesa

O Chelsea perdeu em casa com o Liverpool por 2-0 e disse adeus à Taça da Liga logo nos quartos-de-final da competição. Maxi Rodríguez e Martin Kelly fizeram os golos que adensaram o clima de mau-estar vivido em Stamford Bridge. Os "blues" não têm conseguido praticar bom futebol e as ocasiões de perigo são escassas. Na defesa, Cech, Terry e David Luiz parecem estar em má forma, Lampard e Essien entraram já não são o que eram, Drogba ainda não recuperou da sua lesão, Anelka configura-se como suplente e Fernando Torres continua a provar que foi um "fiasco" e uma das contratações mais patéticas contratações dos londrinos nos últimos anos. Será que o técnico português conseguirá criar uma equipa nova (e também uma melhor empatia com os jogadores e massa associativa do Chelsea) antes de ser despedido?

Noutros jogos referentes à antepenúltima ronda da Taça da Liga Inglesa, o Manchester City venceu o Arsenal no Emirates por 1-0 com um golo tardio do argentino Aguero e o Cardiff eliminou o Blackburn, derrotando os Rovers por 2-0.

Ps: O Manchester United foi eliminado pelo modesto Crystal Palace. Os pupilos de Alex Ferguson perderam por 2-1 em Old Trafford, surgindo com muitas alterações no onze inicial. Ambrose (Crystal Palace) fez o 1-0 através de um grande remate. Macheda, através da conversão de um penalti, empatou a partida. Já nos descontos, Glenn Murray confirmou a surpresa.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Liga Portuguesa: Resumo da 11ª jornada

Uma jornada de grandes jogos. É assim que podemos caracterizar esta 11ª ronda da Liga Zon Sagres. Na sexta-feira, a abrir a rodada, o Beira-Mar foi a Coimbra vencer a Académica por 1-0. O chinês Zhang fez o único golo da partida aos 5 minutos. No dérbi madeirense, o Nacional e o Marítimo empataram a duas bolas (ler aqui). Em Lisboa, no jogo grande da jornada, o Benfica derrotou o arqui-rival Sporting por 1-0 com golo de Javi Garcia (ler aqui). O Feirense voltou ao Marcolino de Castro com uma vitória de 2-0 perante o Rio Ave. Diogo Rosado e Hélder Castro fizeram os golos da partida. O Gil Vicente recebeu e venceu a União de Leiria por 2-1. Hugo Vieira bisou para os gilistas e o português Luís Leal reduziu para a equipa da cidade do Lis. O Paços de Ferreira e o Olhanense empataram a uma bola num jogo emocionante. Michel voltou a marcar para os pacenses, enquanto que André Pinto faturou para os algarvios. No Dragão, o FC Porto levou de vencida uma organizada equipa do Braga por 3-2 (ler aqui). Ontem, o Vitória de Guimarães goleou o Setúbal por 3-0 num jogo que marcou a terceira vitória consecutiva dos pupilos de Rui Vitória que parecem condenados a lutar pela Europa, mesmo depois do mau início de época. Após duas expulsões nos sadinos, o jogo tornou-se mais fácil. Toscano fez dois golos e Edgar Silva voltou a marcar, desta vez de penalty. Os dois primeiros lugares mantêm-se, o Sporting ficou com menos 5 pontos que Porto e Benfica, o Marítimo e o Braga seguem os leoninos e o Gil Vicente saltou para o sétimo lugar. Igual destaque para o facto de o Guimarães já estar na 10ª posição. Surpresas? Destaques? Dê a sua opinião...

Luz destruída

A Liga de Clubes abriu um processo de inquéritos de forma apurar os acontecimentos ocorridos após o Benfica vs. Sporting de sábado referente à 11ª jornada da Primeira Liga. O Benfica mostrou os danos na "zona de conforto" onde as claques leoninas viram a partida. Observe com os seus próprios a destruição produzida por adeptos sportinguistas após o dérbi lisboeta...





Opinião: Pensamos que é absolutamente degradante ver a destruição que certos adeptos provocaram, enraivecidos por uma derrota passageira e por uma medida preventiva de segurança. Esta é mais uma demonstração do aumento de insolência e irresponsabilidade junto dos adeptos do futebol. Corremos um sério risco de que se torne perigoso e arriscado ir "ver a bola"... Esperamos ansiosamente por medidas preventivas da Liga de Clubes.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Benfica responde às críticas sportinguistas

O Benfica emitiu um comunicado onde critica as alegações dirigidas pelos responsáveis leoninos que ditavam que os adeptos sportinguistas foram mal recebidos no Estádio da Luz (recorde-se a "jaula" e o estádio que acabou atiçado em fogo).

domingo, 27 de novembro de 2011

Foi Hulk mais dez

FC Porto 3-2 Braga
O FC Porto recebeu e venceu o Braga, mantendo a liderança da Liga Portuguesa com os mesmos pontos que o arqui-rival Benfica. Ambas as equipa se exibiram a bom nível, protagonizando um jogo equilibrado e até um pouco atabalhoado que acabou por ser decidido pela inspiração de jogadores de Hulk ou Lima. Sendo assim, os dragões mantêm-se na disputa pela liderança do campeonato enquanto que os minhotos se preparam para lutar pela Liga Europa e esquecer a possibilidade de fichar no pódio da Primeira Liga.

Os primeiros 30 minutos foram dominados pelos bracarenses. Douglão e Paulo César tiveram as primeiras hipóteses para marcar. Hulk ia causando perigo nas transições ofensivas portistas. Aos 36 minutos, Hulk abriu o marcador através de um remate de cabeça, após um cruzamento perfeito do colombiano James Rodríguez. Os portistas pegaram num jogo (apesar de nunca terem impressionado) e, já no decorrer do segundo tempo, Hulk rematou de fora da área para concretizar o golo da noite. Kléber entrou e logo depois correspondeu a um cruzamento do brasileiro Hulk com um golo. Já ao cair do pano, o Braga "despertou" e Lima fez dois golos (um de penalty, outro num remate de fora da área) reduzindo a vantagem dos portistas.

MVP - Hulk: Claramente o homem do jogo. Marcou dois golos (um deles arrisca-se a ser um dos golos do ano), fez uma assistência e até cometeu um penalty. Hoje o FC Porto foi Hulk mais dez...
Lima: Faturou dois golos, rubricando uma boa exibição. Esteve invulgarmente bem, desequilibrando na frente de ataque bracarense.
Quim: Executou duas grandes defesas, negando mais dois golos a Hulk. Esteve seguro a sair, algo invulgar no guarda-redes português.
Fernando: O meio-campo foi todo dele. "Apagou" Mérida e Hugo Viana do jogo, resistindo aos 90 minutos de jogo.

Premier League: Man. City salvaguarda primeiro posto

Liverpool 1-1 Manchester City: No maior jogo da jornada inglesa, os citizens e os reds protagonizaram uma partida muito intensa que determinou um empate. Kompany abriu o marcador de cabeça, após canto batido pelo espanhol David Silva. Depois, Charlie Adam remata de longe e o inglês Lescott desvia para a sua própria baliza, protagonizando o 1-1. Mario Balotelli voltou a mostrar indisciplina ao ser expulso por acumulação de cartões amarelos. Até final, Joe Hart ainda pode ter o direito a salvar os light blues pelas mais diversas vezes.

Chelsea 3-0 Wolves: André Villas-Boas aliviou um pouco a pressão vivida em Stamford Bridge nos últimos tempos ao receber e derrotar o Wolverhampton. Terry fez abriu o marcador aos 7 minutos. O jovem avançado britânico Dani Sturridge fez o 2-0 aos 29 minutos. Juan Manuel Mata fechou a contagem com um grande golo num jogo onde os blues (continuam em 5º lugar) dominaram sem brilho.

Manchester United 1-1 Newcastle: Os Red Devils permitiram que o Manchester City mantive-se a distância pontual de 5 pontos, empatando com o Newcastle em Old Trafford. Chicharito fez o primeiro golo aos 49 minutos. Apesar do domínio dos comandados de Alex Ferguson, Demba Ba empatou aos 64 minutos através da conversão de uma grande penalidade.

Benfica invencível

Devido à derrota do Barcelona frente ao Getafe por 1-0 e à vitória dos encarnados perante o arqui-rival Sporting, o Benfica tornou-se neste fim-de-semana o único clube invencível na Europa. Esta época já lá vão 22 jogos oficiais sem derrotas e 14 vitórias (apenas 2 goleadas). Torna-se prioritário colocar uma questão: qual a fórmula do sucesso?


Primeiro há que reconhecer o mérito de Jorge Jesus ao ter criado uma equipa calculista, tranquila, muito organizada e com boas opções no banco (Enzo Pérez ainda não se apresentou a 100%), ao contrário do que se tinha observado no decorrer das outras duas épocas com o técnico natural da Amadora ao leme. Atualmente, o Benfica é a equipa que (claramente) melhor defende em Portugal, sendo também a mais eficaz no ataque (a verdade é que o Sporting brilha mais). Com Artur na baliza, toda a equipa ganha segurança. Garay e Luisão complementam-se na perfeição, não se registando os habituais "devaneios" ofensivos de David Luiz que causaram muitos empates e derrotas injustas ao clube da Luz. Maxi, muito seguro na direita, é uma fortaleza na ala destra benfiquista. Emerson é a maior lacuna do plano defensivo, apresentando falta de agilidade para um clube como o Benfica (porque não Capdevila?). Mesmo assim, há que destacar a ausência de Fábio Coentrão nesta posição que, apesar de ser exímio em termos ofensivos, deixa muito a desejar defensivamente. Javi García continua a ser preponderante devido à sua cultura tática e, finalmente, há que salientar a importância de Axel Witsel que, à semelhança de Ramires, se pode tornar numa peça defensiva ou numa peça ofensiva, dependendo da situação de jogo, oferecendo uma maior dinâmica ao jogo encarnado. Os trabalhos ofensivos ficam entregues a dois alas (Bruno César (ou Nolito) e Nico Gaitán), a Aimar e a Cardozo (ou Rodrigo), todos eles com capacidade para fazer a diferença. Até onde poderá chegar este Benfica?

Francisco Cunha

Liga Espanhola: Real Madrid aproveita deslize catalão

Real Madrid 4-1 Atl. Madrid: Os "merengues" venceram o dérbi madrileno, num jogo inteiramente dominado pelos comandados de José Mourinho que, como visitado, lançou Pepe e Cristiano Ronaldo de início. Adrián abriu o marcador para os colchoneros aos 15 minutos, num lance estranho onde a defesa do Real tem sérias responsabilidades. Cristiano Ronaldo empatou na conversão de uma grande penalidade, pouco tempo depois. Ao abrir do segundo tempo, o ex-Benfica Angél Di Mária fez o 2-1. Higuaín tirou dois da frente  e marcou mais um golo para a sua equipa. Já nos 10 minutos finais, Cristiano Ronaldo bisou de penalty. O Real Madrid fica assim na 1ª posição da Liga Espanhola com mais 6 pontos que o 2º classificado, Barcelona.

Getafe 1-0 Barcelona: O Barcelona perdeu na viagem a Getafe, deixando fugir o Real Madrid no topo da classificação. Os catalães dominaram e mostraram bom futebol com o habitual tiki-taka. Porém o lateral espanhol Juan Valera, aos 67 minutos, surpreendeu Guardiola ao marcar o único golo da partida que distanciou o Barça da 1ª posição da tabela.

Duelo de nortenhos

FC Porto vs. Braga (18.15 - TVI)
Numa altura em que Vítor Pereira e o próprio Porto têm sido muito contestados (apesar da recente vitória em Donetsk), chega a hora de receber os "Gverreiros" que, tal como os dragões, se apresentarão com muitas ausências, apesar do retorno de Vinícius após lesão. Igual destaque para o facto de, se os portistas quiserem manter a liderança, serem obrigados a vencer este jogo, já que o rival Benfica derrotou o Sporting no dérbi lisboeta. Sendo assim, acrescenta-se mais uma responsabilidade à equipa azul e branca que defrontará uma equipa que não quer perder a oportunidade de se apurar para a Liga dos Campeões (os minhotos estão na 5ª posição). De relembrar que os bracarenses já mostraram muita dificuldade em vencer no Dragão, porém Leonardo Jardim parece disposto a mudar a história num jogo que promete ser muito intenso. Prognósticos? Será que um Porto em má forma será suficiente para derrotar o Braga?

Dérbi madeirense termina em empate

Nacional 2-2 Marítimo
Noutro jogo frenético desta jornada da Liga Portuguesa, o Nacional e o Marítimo repartiram forças. Os verderubros até dominaram, mas a falta de eficácia saiu cara à equipa orientada por Pedro Martins. O senegalês Baba (melhor marcador da Liga) fez o primeiro golo no primeiro tempo, voltando a mostrar que merece algo mais. No entanto, Ruben (Marítimo) foi expulso e o jogo mudou, tornando-se mais emocional e mais rápido. O extremo luso Candeias empatou ao minuto 66 e, pouco tempo depois, o venezuelano Mario Rondón fez o 2-1. Mas quando já se festejava a vitória do Nacional, Heldon, de penalty, fechou o placar de resultados já nos descontos da 2ª parte. Destaques? Até onde poderão chegar as equipas madeirenses esta época?

Jogo frenético dá a liderança provisória ao Benfica

Benfica 1-0 Sporting
O Estádio da Luz (com quase 64 mil espetadores nas bancadas) foi palco de um dos jogos mais emocionantes dos últimos anos. Num jogo muito equilibrado, onde o Benfica primou pela organização defensiva (com Jardel no lugar de Luisão) e pelas transições ofensivas e o Sporting pela elevada intensidade de jogo, a eficácia de Javi García acabou por decidir o jogo. Os encarnados a jogarem com apenas dez jogadores na última meia hora de jogo, ditou um final de partida frenético. Sendo assim, o Benfica garante a liderança provisória após uma vitória histórica sobre o arqui-rival Sporting. Basta esperar por um deslize do FC Porto frente ao Braga...

A primeira parte foi uma etapa de contrastes: os leões dominaram os primeiros 15 minutos, enquanto que o Benfica brilhou nos 20 minutos seguintes. Mesmo assim, a primeira ocasião de golo foi dos encarnados. Aos 10 minutos, após canto de Pablo Aimar, Nico Gaitán, de fora da grande área verde e branca, rematou forte ao poste esquerdo da baliza de Rui Patrício. Pouco tempo depois, Schaars e Elias protagonizaram as melhores ocasiões de perigo do Sporting. O médio holandês rematou à entrada da área ao lado e Elias, no confronto com Artur, não foi suficientemente eficaz para bater o guardião brasileiro. Matías Fernández saiu lesionado (falhará os próximos jogos?) e entrou Carrillo. Numa altura em que o Benfica já dominava, Javi García fez o único golo da partida. Aos 41 minutos, o médio espanhol converteu um canto batido por Aimar em golo, saltando mais alto que Onyewu e Rui Patrício.

A etapa complementar foi marcada por grande intensidade de jogo e muita emoção, não havendo uma equipa a destacar-se. Cardozo teve uma das melhores oportunidades de golo, tirando dois adversários da frente e rematando para grande defesa de Rui Patrício. Dez minutos depois, Cardozo foi expulso por protestos (atitude exagerada de João Capela que, sendo assim, também deveria ter expulso Insua e Daniel Carriço). O Benfica teve de jogar os últimos 30 minutos encostado às cordas. Saiu Aimar e entrou Rodrigo para jogar praticamente só na sua frente de ataque. Mesmo assim, apesar da atitude pressionante do Sporting, as melhores ocasiões de perigo eram as dos encarnados. Rodrigo, a cinco minutos dos 90, esteve muito perto de sentenciar o jogo, mas cedeu à mancha do guardião português dos leões. Em suma, um jogo muito interessante e que nos ofereceu um resultado justo devido à inteligência e nº de oportunidades de golo do Benfica.

MVP - Aimar: O "mago da Luz" evidenciou-se dos demais. Os leões só o conseguiram parar em falta. Pautou todo o jogo benfiquista e assistiu Javi García no golo.
Javi García: Teve um maior papel defensivo na ausência de Luisão, apoiando pelas mais diversas vezes Jardel. Marcou o único golo da partida, fazendo toda a diferença.
Maxi Pereira: O lateral uruguaio "queimou" Capel, que só mostrou qualidade quando mudou de faixa. No plano ofensivo esteve acertado e desequilibrou no ataque.
Witsel: Esteve muito seguro e calmo, defendendo e atacando com a mesma qualidade. Continua a mostrar-se uma peça preponderante no plano de Jorge Jesus.
Emerson: O brasileiro voltou-se a exibir a mau nível. Não teve agilidade para conter a velocidade de Carrillo.
Elias: O melhor elemento do Sporting. Teve várias oportunidades para marcar golo, mas a ineficácia tramou-o. Muito rápido, entregou qualidade ao jogo leonino.
Rui Patrício: Fez defesas determinantes. Muito seguro, foi responsável por uma não goleada do Benfica sobre o Sporting.
Daniel Carriço: Muito faltoso podia ter sido expulso. Péssima exibição, não tem rotinas de trinco.
Diego Capel: Marcado por Maxi, o extremo espanhol acabou por não aparecer no jogo.

sábado, 26 de novembro de 2011

Luisão não recuperou e falha derby

Segundo a SIC Notícias, o defesa-central brasileiro e capitão do Benfica não recuperou da lesão muscular contraída no decorrer da partida com o Manchester United e falhará o derby com o Sporting. Jorge Jesus já tinha admitido na conferência de imprensa antecedente à partida que apenas hoje se saberia a possibilidade de Luisão jogar ou não. Infelizmente para os adeptos benfiquistas, a verdade é que o "Girafa" falhará uma das mais importantes partidas da época. Será que este caso poderá afetar o estado anímico dos encarnados, tendo em conta a influência do brasileiro para com os seus companheiros?


Sendo assim, surge uma dúvida: quem substituirá Luisão?
Miguel Vítor: O jovem português parece partir com alguma vantagem sobre os concorrentes ao seu lugar, já que substitui o "Girafa" quando este se lesionou na partida frente ao Manchester United. Rápido e ágil, seria a hipótese mais acertada na nossa opinião, tendo em conta a falta de estatura no plantel sportinguista.
Jardel: No início da época parecia ser a 3ª opção para central mas erros grosseiros protagonizados pelo brasileiro têm feito com que perca importância no plantel da Luz. Seria muito arriscado lançar Jardel num jogo como este.
Javi García: O trinco espanhol é adaptável a central e dos 4 até seria o que ocuparia melhor a posição, tendo em conta a sua experiência, classe e calma essenciais para um derby. No entanto, a sua entrada significaria um Matic no meio-campo: demasiadas alterações para um jogo grande.
Emerson: Desempenhou várias vezes no Lille esta posição. Tem características de central, sendo ágil e tranquilo, mas a falta de rotinas podem fazer com que continue a lateral-esquerdo, relegando Capdevila para o banco.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Lendas e Glórias: Daniel Passarella

 Esta é a história do melhor central que a Argentina deu ao Mundo, é a história de alguém que foi criticado pela sua altura (176 cm) e pela sua vontade em jogar. Podíamos escrever este texto somente com histórias, é, no entanto, preferível irmos diretamente ao assunto.

Dani sempre teve questão de mostrar os seus dotes de finalizador, é o 2º central que mais golos marcou. Atente que, só na seleção principal argentina, apontou 22 golos. Salientava-se também pela velocidade e agilidade, invulgares num jogador duma posição tão recuada com a sua. Argentino de nascença, Passarella representou durante 8 épocas o River Plate. Preferiu depois ir para a Serie A, tendo jogado na Fiorentina e no Inter de Milão. Optou depois por voltar ao país das "pampas", para jogar no seu clube do coração, o River. Pela "albiceleste", o defesa-central, passou pelos melhores tempos da sua nação, ganhou o Mundial de 1978 e de 1986, e jogou a bom nível no Mundial de 1982. Como treinador conseguiu obter grande sucesso: o seu perfil conservador marcaria indubitavelmente a sua carreira, após o término da carreira como jogador. Daniel foi treinador do River Plate por 5 anos, cargo que abandonou para dirigir a "albiceleste", lá esteve 4 anos, tendo apenas voltado a treinar em 1999, onde foi vice-campeão da Copa América, ao serviço do Uruguai. Parma, Monterrey, Corinthians e outra vez River Plate também marcaram a sua grande carreira, não só como jogador ou treinador, mas também como pessoa.

Nota final: 18/20

Derby sob pressão

Benfica vs. Sporting ( 20.15 - SportTV)
Aguardemos pelo jogo de cartaz da 11ª jornada da Liga Portuguesa de Futebol, mas vale mesmo a pena esperar, por um jogo que pode aclamar, atualmente, a melhor equipa de Portugal. O Benfica, a jogar em casa não pretenderá outro resultado para além da vitória, caso isto se suceda, os "encarnados" ficariam com 4 pontos de acréscimo em relação ao seu rival. Quanto ao Sporting, a qualidade individual de Diego Capel, Carrillo, Matías e van Wolsfwinkel, sobrepõe-se à qualidade colectiva, algo que poderá afectar os "leões". Ainda assim, o Sporting também quer ganhar. Domingos Paciência, não pede outro resultado. Em cada equipa ainda restam dúvidas, nas "águias": Luisão pode não recuperar a tempo da partida, enquanto que Cardozo e Rodrigo lutam pela titularidade, sendo que Tacuara leva vantagem neste duelo individual. No lado do Sporting, Carrillo pode ser a surpresa no onze inicial, enquanto que as recentes boas exibições de Matías Fernández, podem obrigar Domingos Paciência a refazer o onze inicial.

Nos últimos dias os sportinguistas têm-se sentido injustiçados com as medidas realizadas pelo Benfica, este é, portanto, o momento para uma possível "vingança leonina" ou então é o momento para os "encarnados" prolongarem o seu reinado e assim manterem-se imbatíveis.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Craques de Amanhã: Marc-André ter Stegen

O guarda-redes alemão de 19 anos parecia condenado ao estatuto de suplente no Borussia de Mönchegladbach que se preparava para de descer de divisão, mas quando chegou um novo técnico ao clube alemão de seu nome Lucien Favre tudo mudou. O suíço apostou em ter Stegen e em Marco Reus e lançou uma nova filosofia de jogo na Renânia. Teve resultado, evitando a descida do seu clube. Esta época com os dois jovens alemães em foco, o Borussia tem sido a grande revelação desta temporada e tem-se intrometido entre os grandes do futebol alemão. Porquê? Muito devido ao seu guarda-redes que nos jogos mais difíceis tem sido o "salvador" do modesto Borussia de Mönchegladbach. Parte integrante das seleções jovens alemãs, destaca-se pela sua elasticidade, mesmo com os seus 185 cm. Quando evoluir, promete dar luta a Manuel Neuer na corrida ao posto de guardião da baliza da seleção alemã.

Marc-André é um guarda-redes que ocupa a baliza inteira, entrega segurança à sua equipa e é exímio nas saídas. Porém destaca-se pela sua elasticidade e pela capacidade de chegar aonde os outros não chegam. Os seus reflexos fazem-nos lembrar Michel Preud'homme. Quando o vejo jogar entusiasmo-me e penso cá para mim: este não falha, pois não?

Nota Final: 16/20

Confusão total na Champions

No grupo A, o Bayern de Munique despachou o Villarreal por 3-1, no Allianz Arena, os bávaros apontaram os golos por intermédio de Mario Gomez (fez o seu 6º golo em 5 jogos) e Ribery, por duas ocasiões. De Guzmán fez o golo de honra dos espanhóis. Ainda neste grupo, o Nápoles recebeu e venceu o Man.City, por 2-1. Cavani fez os dois golos dos napolitanos, os citizens apontaram o seu golo por Balotelli. Nesta fase, o Nápoles está em segundo lugar, o Bayern em primeiro e o Man.City em 3º, o Villarreal ainda não pontuou e está a desiludir os seus associados. O grupo B abriu com uma vitória do Lille em casa do CSKA de Moscovo, Berezutski com um auto-golo, colocou os forasteiros em vantagem, Sow, na segunda parte, decidiu o confronto. Neste mesmo grupo, o Inter de Milão foi a casa do Trabzonspor empatar a um golo, Halil Altintop fez o golo dos visitados e Ricky Alvarez faturou para os milanenes. Os neroazurri vão quedar-se em primeiro lugar no grupo, Trabzonspor, com 6 pontos e Lille e CSKA com 5 pontos, também estão na disputa à continuidade na "Liga milionária". No grupo C, o Benfica foi a Manchester empatar a 2 bolas com o Man.United: Phil Jones colocou os encarnados em vantagem, Berbatov empatou para os red devils, Fletcher deu vantagem aos da casa, mas Aimar, logo de seguida anulou o resultado, ficando 2-2 no final. Precisamente neste grupo, o Basileia deslocou-se à Roménia, ganhando por 3-2, Fabian Frei, Alex Frei e Streller fizeram os golos dos suiços, Giurgiu e Antal reduziram para os romenos. No grupo D, o Real Madrid aniquilou o D.Zagreb com 6-2 e o Lyon empatou sem golos frente ao Ajax.

No grupo E, o Chelsea voltou a desiludir, perdendo perante o Bayern de Leverkusen por 2-1, os blues estiveram em vantagem durante muito tempo mas os "farmacêuticos" deram a volta. O Valencia destruiu o Genk no Mestalla: os comandados de Unai Emery venceram por 7-0. A equipa de Villas-Boas está posicionada no 3º lugar. No grupo F, o Arsenal derrotou o Dortmund por 2-1 enquanto que o Olympiakos foi a casa do Marselha triunfar pela margem mínima. O FC Porto foi à Ucrânia derrotar o Shakhtar Donetsk por 2-0, Hulk e Rat, na própria baliza, fizeram com que os portistas beneficiassem do empate entre Zenit e APOEL por 0-0. No grupo H, o Barcelona venceu o AC Milan, em San Siro, por 3-2: Xavi fez das suas e bisou, enquanto que no outro jogo o Plzen derrotou o Bate Borisov, precisamente na Bielorússia.

Estamos perto da definição das equipas que passam à fase seguinte da Champions: o FC Porto recompôs-se e o Man.City retrocedeu, enquanto que o Benfica já só necessita de vencer o Otelul na última jornada para garantir o primeiro lugar no seu grupo.

Luisão ainda não desistiu

Afinal, o Benfica pode ainda não ter perdido o seu capitão para o derby com o Sporting, no próximo sábado. O brasileiro, lesionou-se no adutor direito enquanto decorria o jogo perante o Manchester United, tendo abandonado o jogo antes do final dos 90 minutos, partida essa, em Old Trafford que terminou empatada a 2 golos. Luisão está a ser alvo de um trabalho orientado e são esperadas "melhoras" no estado do defesa brasileiro. Se tudo correr bem, o Benfica pode mesmo contar com a segurança certa frente ao grande rival, não tendo de recorrer a Jardel ou a Miguel Vítor.

Tudo adiado para a última jornada

Shakhtar Donetsk 0-2 FC Porto
Na Ucrânia, só a vitória interessava e foi mesmo isso que Vitor Pereira arquitetou para a partida que podia ter significado o despedimento do técnico português. Sendo assim, o treinador portista pode aliviar um pouco da pressão vivida no Dragão e focar-se nos próximos jogos da sua equipa. O Porto conseguiu controlar o fluído ofensivo da equipa orientada por Mircea Lucescu e, com uns arrasadores 20 minutos finais, adquirir a hipótese de se manter na corrida pelo apuramento para os oitavos-de-final da Champions: basta vencer o Zenit daqui a duas semanas.

Os ucranianos começaram mais dominadores, com Luiz Adriano a rematar ao poste da baliza dos dragões. O único lance de perigo protagonizado pelos dragões no 1º tempo acabou por ocorrer através de um contra-ataque organizado por Hulk, mas o avançado brasileiro não conseguiu finalizar. No início da etapa complementar, apesar do acerto defensivo do Porto, o Shakhtar pressionava forte e Fernandinho rematou ao poste. Finalmente, a partir do minuto 70, os azuis e brancos pegaram no jogo. Hulk fez o 1º golo aos 80 minutos, totalmente isolado. Já nos descontos, o lateral Rat fez auto-golo e fechou o resultado num jogo que merecia um empate.

MVP - Hulk: Desbloqueou o jogo portista, destacando-se nos 20 minutos finais (altura em que o Porto dominou). Na 1ª parte esteve perto de marcar e no 2º tempo fez a diferença num jogo muito equilibrado.
Helton: Salvou os dragões por diversas ocasiões. Começa a configurar-se como "salvador" nas Antas, oferecendo vitórias e empates à sua equipa em jogos onde a derrota parecia certa.
João Moutinho: Fez a assistência para o golo de Hulk e foi primoroso nos passes. Muito criativo, esteve em destaque.
Alvaro Pereira: Bem a defender, salientou-se a atacar. Com grande fulgor ofensivo, resistiu aos 90 minutos com a mesma preponderância.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Sorteio da Taça da Liga prejudicial para o Benfica

O Benfica vai ter uma tarefa complicada caso queira voltar a vencer a Taça da Liga (últimas 3 edições conquistadas pelo clube da Luz): os encarnados ficam no grupo B, juntamente com V. Guimarães, Marítimo e Santa Clara. Além do mais, perspectiva-se um duelo entre Benfica e FC Porto nas meias-finais desta prova, já que os sorteios para esta competição visam que o vencedor do grupo A joga com o do C e que o 1º classificado do grupo B defronta o 1º do D. De destacar também que o Sporting fica no 1º grupo, junto a Rio Ave, Gil Vicente e Moreirense, o grupo C fica a cargo de Braga, Nacional, Portimonense e Penafiel, enquanto que no restante grupo o FC Porto vai enfrentar o Paços de Ferreira, o V. Setúbal e o Estoril.

Real não dá hipóteses

Real Madrid 6-2 D.Zagreb
O Real Madrid continua a galgar montanhas e ontem destroçou o D.Zagreb por esclarecedores 6-2. Com uma equipa onde se destacaram as entradas de Sahin, Altintop, Varane e Adán, logo aos 2 minutos de jogo, Karim Benzema aponta o primeiro golo da noite, bom passe de Özil e o francês à "matador" não perdoou. Quatro minutos depois, novo golo dos "merengues", de novo Benzema em evidência, desta feita a assistir Callejón, para este dilatar a vantagem. O jogo ia de vento em popa para os da casa, e aos 9 minutos, Higuaín também marcou, boa jogada individual, finalizada com um toque de classe do argentino. Aos 20', Mesut Özil apontaria, também ele, um golo, passe de Higuaín e golo do germânico. Até ao fim do 1º tempo, o português, Fábio Coentrão, esteve perto de marcar por duas ocasiões. A 2ª parte começou praticamente com novo golo dos madrilenos, Callejón conseguiu bisar após um passe longo de Varane. Aos 66', Benzema apontaria o seu 2º golo da noite e o 6º do Real. Até ao fim do jogo os "merengues" sofreriam 2 golos, Beqiraj aos 82' e Tomecak, em cima do apito final, fizeram os golos de honra dos forasteiros. Destaques?

Só a vitória interessa

Shakhtar Donetsk vs. FC Porto (19.45 - SportTV)
Espera-se um jogo aberto na Ucrânia, com um desafio entre as duas equipas mais fortes do seu grupo e que, curiosamente, até estão a ter os piores resultados. De destacar o facto de que, caso os portistas perderem hoje à noite, colocarem em risco a passagem não só à próxima fase da Champions, como também a passagem à Liga Europa. Se os pupilos de Vitor Pereira querem manter a esperança de se qualificarem para os oitavos-de-final da "Liga milionária", terão de vencer ou esperar por um deslize do Zenit. Prognósticos?

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Benfica já está nos "oitavos"

Manchester United 2-2 Benfica
O Benfica garantiu a passagem aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, após um empate histórico em Old Trafford. Os encarnados jogaram de igual para igual e, mesmo com a vitória do Basileia sobre o Otelul Galati por 3-2, já poderão pensar na próxima fase da Champions e o 1º lugar apenas depende dos pupilos de Jorge Jesus que, na próxima jornada da fase de grupos, defrontarão o campeão romeno. Os visitantes praticaram um futebol racional, com boa troca de bola e veloz face a um futebol muito "atabalhoado" do United.

Quanto ao jogo propriamente dito, destaque para os 15 minutos de jogo, onde os encarnados meteram o Manchester United "encostado às cordas". Nico Gaitán dava espetáculo e, numa incursão pela área dos Red Evils após jogada entre Witsel e Maxi Pereira, rematou contra defesa inglês Phil Jones que inseriu a bola dentro da sua baliza. O jogo tornou-se mais equilibrado e qualquer equipa podia marcar. O Manchester United conseguiu chegar à vantagem aos 29 minutos. Depois de um livre, Nani recebeu a bola e cruzou para Berbatov que rematou de cabeça para o dentro da baliza de Artur.

A seguir veio a 2ª parte. De salientar o facto de Luisão ter saído lesionado da partida, podendo falhar o jogo com o Sporting. Os Red Evils dominaram o 1º quarto de hora e, no decorrer do minuto 59, Fletcher fez o 2-1. O jogo estava louco e Aimar empatou a partida um minuto depois. O jogo manteve-se veloz e rico em contra-ataques explosivos até aos 80 minutos, onde o Benfica tornou-se mais acertado taticamente que o adversário após a entrada de Nemanja Matic. O Benfica podia ter chegado à vantagem através de uma jogada individual de Rodrigo em que os defesas ingleses "ficaram a ver navios". No entanto, o hispano-brasileiro rematou ligeiramente ao lado da baliza de De Gea. Em suma, um resultado justo e que carimba a passagem do Benfica para a próxima fase.


MVP - Aimar: Sr. leitor, isto deve ser uma repetição para si, mas a verdade é que o argentino voltou a pautar todo o jogo dos encarnados, coordenando os contra-ataques e até recuperando bolas. Saiu exausto, mas com o seu dever cumprido.
Witsel: Hoje com mais trabalhos defensivos, esteve acertado taticamente. Ofensivamente não comprometeu, fazendo passes fulcrais.
Artur: Passou a sua segurança para a equipa. Na 2ª parte fez um bom par de defesas, não tendo culpas nos golos sofridos.
Nico Gaitán: Brilhou no 1º tempo, depois "arrebentou" e Jesus admitiu que saiu "aflito". O argentino é um jogador assim, muito irregular...
Emerson e Maxi Pereira: Muito inseguros, perderam muitas bolas e falharam, por vezes, nos cortes. Não se entende porque é que Capdevila não é o titular. Maxi fica de fora no próximo jogo europeu (teve amarelo)...
Nani: O extremo luso esteve bem. Em momentos, exagerou nos dribles, no entanto, no geral desequilibrou na frente de ataque dos Red Evils.

Lendas e Glórias: Arthur Friedenreich

Nascer em 1889, não é bom presságio para realizar uma carreira histórica, nascer no Brasil só dificulta ainda mais. Arthur Friedenreich conseguiu singrar, como avançado e segundo avançado, embora em constante mudança representando durante a sua carreira, cerca de 20 clubes.

Dez golos em 21 jogos pela seleção brasileira parece pouco, mas tendo em conta o que lhe sucedeu, nem é um registo mau de todo. Sendo paulista, foi preterido do Mundial de 1930, não tendo assim sido reconhecido pelo Mundo fora, jogou no entanto na Copa América de 1919, onde foi o melhor marcador e jogador. De "Fried", não há muito mais a dizer, pouca gente o viu jogar, de maneira que é difícil saber algo mais deste descendente de alemães, de qualquer forma, "El Tigre", é considerado, o primeiro grande jogador do país que mais vive intensamente o futebol no Mundo, foi o primeiro de uma longa linhagem de craques que falam português, isto diz tudo, de uma pessoa muito particular e solidária.

Nota Final: 15/20

Sorteio da Taça de Portugal simpático para Sporting

O sorteio dos oitavos-de-final, da Taça de Portugal foi simpático para o Sporting, que vai receber o Belenenses, a 5 de Dezembro. Mais difícil é a tarefa do Benfica, que vai à Madeira defrontar o Marítimo, a 2 de Dezembro. Nos outros jogos, o D.Aves recebe o surpreendente Ribeira Brava, o Oliveirense desloca-se a Mirandela para defrontar o clube local, o Moreirense joga em casa contra o Torreense, que já eliminou duas equipas da Primeira Liga Portuguesa, o Nacional desloca-se a Santo Tirso onde vai medir forças com o Tirsense, o Leixões e o Estoril recebem, respetivamente, Académica e Olhanense.

Existe a possibilidade de, caso, Sporting e Benfica passarem os seus adversários, se defrontarem nos quartos-de-final desta prova, sendo os leoninos a jogarem em casa.


Diego Capel melhor jogador de outubro pelo Sindicato: O extremo espanhol foi nomeado o jogador do mês de outubro pelo Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol. O jogador do Sporting marcou três golos em cinco jogos, alcançando os melhores registos da sua carreira. O holandês Schaars ficou em segundo e Ricky van Wolfswinkel ficou na terceira posição.

Duelo de gigantes em Old Trafford

Manchester United vs. Benfica (SportTV - 19.45)
Grande jogo em perspectiva para logo à noite, em Old Trafford, os vice-campeões europeus recebem o Benfica, num jogo que tem tudo para ser emocionante. Rodrigo e Cardozo tentam garantir um lugar ao sol, enquanto que Ruben Amorim pode entrar diretamente no onze "encarnado". No Manchester United, Nani e Rooney, são jogadores muito perigosos, que podem causar problemas irremediáveis aos lisboetas, colocando a passagem à próxima fase complicada.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Sporting segue a toda a velocidade

Sporting 2-0 Braga
Duelo de gigantes no José de Alvalade, com o Sporting a levar a melhor perante um adversário digno e que vendeu cara a derrota. Os lisboetas começaram a partida com vontade de triunfar, Capel, logo aos 14 minutos inseriu a bola dentro da baliza, com uma boa jogada de contra-ataque, onde o espanhol demonstrou toda a sua técnica. O Sp. Braga adormeceu e apenas 7 minutos depois, sofre o segundo golo, desta feita foi Insúa, de forma atabalhoada, em que os bracarenses voltaram a falhar. A primeira parte terminou com um jogo muito empatado entre as duas equipas, mas com a diferença de serem os "leões" a levar vantagem. O 2º tempo começou, praticamente com a expulsão de Elderson, que segurou Elias, impedindo que o brasileiro se isolasse. A seguir a este episódio o jogo ficou claramente decidido, os minhotos foram incapazes de atacar, enquanto que o Sporting se demonstrou extremamente perdulário. No final, como Leonardo Jardim vincou, o jogo foi decidido em detalhes.

MVP  - Rui Patrício: Uma exibição de qualidade, evitou por várias vezes que o Sporting sofresse um golo, tendo negado que os leoninos passassem maiores dificuldades.
Diego Capel: Uma exibição com raça e com fúria, qualidade técnica surpreendente. Apenas falta jogar melhor colectivamente.
Wolsfwinkel: Acima de tudo, Wolsfwinkel, realizou uma partida de esforço, não muito exuberante, sacrificou-se em prol do colectivo, complicando o trabalho da defensiva minhota.
Matías: Ligado aos dois golos do Sporting, com uma boa exibição.
Carrillo: A partir do momento que entrou, o Sporting mudou completamente de figura, correu, fintou passou, só não marcou.
Hugo Viana: Deu o possível,fez um excelente jogo em relação aos demais. Não mereceu a eliminação do Braga.
Elderson: Já não bastava ter estado mal defensivamente nos golos "leoninos", também teve de ser expulso, anulando todas as hipóteses do Braga marcar.

domingo, 20 de novembro de 2011

Villas-Boas em apuros

Chelsea 1-2 Liverpool
A temporada dos blues continua a não correr de feição. Com Meireles e Bosingwa no banco, o Chelsea mostrou-se uma equipa desinspirada, incapacitada de pegar no jogo. Por sua vez, o Liverpool exibiu-se a um nível anormal, praticando um futebol veloz que aproveitou dois deslizes provenientes da defesa londrina. Aos 33 minutos, Obi Mikel perdeu a bola de forma infantil, Bellamy e Suarez "brincaram" com a defensiva do Chelsea e o uruguaio assistiu Maxi Rodríguez que não teve dificuldades em bater Petr Cech. No início da etapa complementar, surgiu um Liverpool adormecido e um Chelsea aguerrido que empatou a partida aos 55 minutos por intermédio do jovem avançado inglês Sturridge. Os reds retornaram à fluência de jogo inicial e, após muito ataque continuado, Glen Johnson marcou um grande golo aos 87 minutos que selou a 6ª vitória na corrente Premier League dos pupilos de Kenny Dalgish. Por quanto tempo mais aguentará André Villas-Boas no comando do Chelsea?

Lendas e Glórias: Bobby Charlton

Sir Robert Charlton foi claramente o melhor jogador inglês de todos os tempos, atuando como segundo avançado. Destacava-se pela velocidade, visão de jogo e pelo remate forte e colocado, além do fair play que o levou a ser condecorado com o título de "Sir" pela Rainha inglesa.

Formado nas camadas jovens do Manchester United (que na altura era uma equipa mediana e que se revolucionou com o próprio Charlton), estreou-se pelos seniores apenas em 1954 com 16 anos, fazendo parte dos famosos Busby Babes. Passados 4 anos, em pleno fevereiro de 1958, já como uma das maiores estrelas dos Red Evils, viveu o momento mais marcante da sua carreira. Após um empate a três bolas com o Estrela Vermelha, o avião que visava levar a equipa do United de regresso a Inglaterra, fez uma escala em Munique. Na descolagem, uma falha dos motores fez com que a aeronave se despenhasse ainda perto do aeroporto, criando assim um dos maiores desastres da história do desporto. Morreram 8 jogadores do United, entre eles Tommy Taylor que, com 26 anos, era uma das referências da época. Bobby Charlton ficou gravemente ferido, mas recuperou a tempo de ser convocado para o Mundial de 1958, onde não jogou.

Depois do acidente de Munique, Bobby Charlton estava decidido a tornar-se importante no mundo futebolístico. No Mundial de 1962 já era a principal estrela de Inglaterra, mas a sua seleção não foi muito longe. Foi ele o principal arquiteto do que o Manchester United é hoje, levando a equipa "às costas" nas Ligas Inglesas de 1965 e 1967, que os Red Evils venceram. Destaque para o facto de ter sido ele a apelidar o estádio de Old Trafford de "Teatro dos Sonhos".

Formava na altura o The United Trinity, juntamente com Denis Law e George Best. Este trio de ataque era o mais temido da altura e manteve-se no Mundial de 1966, onde a Inglaterra foi anfitriã e vencedora, derrotando Portugal nas semifinais e a Alemanha na derradeira final. Nesse ano, recebeu a sua primeira e única Bola de Ouro (pelo que fez na sua carreira, merecia muitas mais). Em 1968, venceu a Taça dos Campeões Europeus após uma final frenética contra o Benfica. Atingiu o auge da carreira e começou a cair de produção, culminando na saída de Busby do comando do United em 1971. Mesmo assim, fez o Mundial de 1970 com 33 anos, onde não jogou tão bem quanto o habitual. Saiu em 1973 do United, onde fez 758 jogos oficiais e marcou 249 golos. Acabou a carreira nos modestos Preston North End e Waterford United. Ainda hoje é o maior goleador da seleção inglesa com 49 golos em 106 jogos...

Nota Final: 19/20

Encontro de grandes

Sporting vs. Braga (20.15 - SportTV)
Disputa-se hoje em Alvalade um encontro da 4ª eliminatória da Taça de Portugal que até podia ser a final. Destaque também para o facto de Domingos Paciência reencontrar a sua antiga equipa, ponto que salientou na conferência de imprensa onde elogiou a estrutura e os jogadores bracarenses. Com Polga e Onyewu mas sem Rinaudo, André Santos deverá ser a única surpresa no onze leonino. A verdade é que o Sporting parte com uma ligeira vantagem devido ao facto de jogar em casa e de estar a passar por um melhor momento de forma. Com muitas ausências, destaca-se a presença do jovem Rivera na convocatória minhota, antes de um jogo onde Leonardo Jardim admitiu que o Braga jogará de igual para igual com o Sporting. Quem fará a diferença num jogo que promete ser muito equilibrado?

Real Madrid segura 1º lugar

Valencia 2-3 Real Madrid
Os pupilos de José Mourinho controlaram o fluído de jogo do Valencia em pleno Mestalla e conseguiram manter a distância de três pontos para com o arqui-rival Barcelona. Com os portugueses Miguel, Pepe e Cristiano Ronaldo em campo, o francês Karim Benzema abriu o marcador aos 20 minutos. O jogo esmoreceu e só com o golo de Sergio Ramos aos 72 minutos é que "acordou". Roberto Soldado, formado no Real Madrid, reduziu aos 75 minutos. Cristiano Ronaldo fez o 3-1 aos 79 minutos e Soldado voltou a colocar pressão no jogo aos 83 minutos. O jogo estava mais louco que nunca, com um Valencia a tentar empatar a partida através de um ataque continuado e um Real Madrid a tentar aproveitar o avanço da linha defensiva de Los Che. Mesmo assim, não se registaram alterações no placar. Em suma, um jogo emocionante que culminou num resultado justo pelo que ambas as equipas praticaram. Destaques? Será que este Valencia de Unai Emery pode ter aspirações a lutar pelo título?

sábado, 19 de novembro de 2011

FC Porto fora da Taça de Portugal

Académica 3-0 FC Porto
Após três Taças de Portugal conquistadas consecutivamente, os dragões foram eliminados da competição ainda antes dos oitavos-de-final pelos "estudantes". A Académica mostrou-se dona e senhora do jogo, controlando toda a partida face a uma exibição pobre e descontrolada dos pupilos de Vítor Pereira que surpreendeu no fim da partida admitindo que "Isto hoje não foi nada...". O 1º tempo foi um tanto "morto": os portistas acabaram os primeiros 45 minutos sem qualquer remate, enquanto que os comandados de Pedro Emanuel dominavam sem criar oportunidades de golo. Na etapa complementar, o Porto surgiu mais escuro que o normal e a Académica apareceu muito agressiva. Aproveitando muitos deslizes defensivos defensivos, a Briosa chegou à vantagem aos 64 minutos por intermédio de Marinho, após um erro grosseiro de Rolando. Adrien fez o 2-0 e, já ao cair do pano, Diogo Valente fechou o resultado. Em suma, um resultado justo e que pode significar o fim da era Vítor Pereira.


MVP - Adrien: Pautou o jogo dos "estudantes", demonstrando visão de jogo, grande qualidade de passe e toque fino. Impressionou com certeza os adeptos mais céticos. Além disso, fez o golo da noite.
Marinho: Entregou velocidade ao ataque da Briosa, desequilibrando na frente de ataque. Mostrou-se um quebra-cabeças para a defesa portista.
Hélder Cabral: O lateral-esquerdo da Académica "secou" Hulk, integrando o ataque da sua equipa nas mais diversas ocasiões.
Rolando e Maicon: O primeiro orquestrou um lance infantil no 1º golo da Académica, mostrando-se inseguro e "trapalhão" como Golo de Placa já referiu pelas mais diversas vezes. O segundo, a atuar como lateral-direito (porque é que não é Otamendi - defesa-direito da Argentina no Mundial 2010 - a ocupar essa posição?), comprometeu e muito, já que os três golos da Académica surgiram do seu lado. Outro péssimo jogador que deveria ser dispensado pelo clube nortenho...
Hulk: Voltou a não aparecer o jogo. Não tem mostrado o porquê de ser a "estrela" dos dragões, exibindo-se a baixo nível e perdendo imensos lances.

Barça goleia

Barcelona 4-0 Saragoça
Os catalães venceram tranquilamente a equipa de Roberto (que, apesar dos 4 golos encaixados, foi um dos destaques da partida), Fernando Meira, Ruben Micael e Hélder Postiga. Em Camp Nou, o tiki-taka resultou em cheio e, se o ex-Benfica Roberto não se tivesse exibido a tão alto nível, este jogo poderia ter terminado numa goleada histórica. O 1º golo foi marcado pelo defesa-central Piqué, que cabeceou para o fundo da baliza dos Blanquillos. Aos 43 minutos, Messi fez um grande golo e, já na etapa complementar, Puyol fez o 3-0, após um grande passe de Fàbregas que, a par de Cuenca, foi uma das surpresas do encontro. Mais tarde, David Villa rematou forte sem hipótese para Roberto, depois de uma boa jogada individual do canterano Cuenca. Quais os destaques? Será que o Barcelona tem condições para lutar com o Real Madrid de José Mourinho?

Premier League: City continua na frente

Manchester City 3-1 Newcastle: Os citizens alcançaram a 11ª vitória em 12 jogos na Liga Inglesa, derrotando o Newcastle e salientando o bom momento de forma. Os pupilos de Mancini dominaram, praticando um bom futebol. O polémico Balotelli (de grande penalidade) e o lateral inglês Richards marcaram até ao intervalo. Já no 2º tempo, o avançado argentino Sergio Aguero fez o 3-0. Já perto do fim, Gossling reduziu para os visitantes. O Manchester City continua na liderança, com mais 5 pontos que o arqui-rival United.

Swansea City 0-1 Manchester United: Os comandados de Alex Ferguson foram ao País de Gales para vencer pela margem mínima a equipa de Moreira (que voltou a ficar no banco). O ponta-de-lança mexicano Chicharito fez o único golo do jogo aos 11 minutos num lance caricato. Nani esteve em campo e realizou uma exibição mediana antes da receção ao Benfica.

Norwich City 1-2 Arsenal: Os gunners até se assustaram aos 16 minutos com o golo de Steve Morison do Norwich, porém o holandês Robin van Persie continuou com o seu bom momento de forma, marcando dois golos que fizeram toda a diferença.

Bayern de Munique derrotado pelo Dortmund

Bayern de Munique 0-1 Borussia Dortmund
Na Allianz Arena, registou-se uma bela partida de futebol que terminou na 3ª derrota do Bayern de Munique na corrente Bundesliga. Sabendo da goleada do Borussia M'gladbach sobre o Werder Bremen (5-0), os campeões alemães em título não queriam deixar a equipa de Marco Reus e companhia isolada na 2ª posição. Sem Schweinsteger e com Robben (após um interregno de vários meses sem pisar um relvado devido a uma lesão), o Bayern deixou-se dominar pelo Die Borussen. O pequeno Mario Götze fez a diferença, marcando o único golo da partida. Sendo assim, os bávaros mantêm-se na 1ª posição da Bundesliga, mas com uma vantagem de apenas 2 pontos sobre os segundos classificados (Dortmund e Borussia M'gladbach).

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Benfica vence à tangente

Naval 0-1 Benfica
Com muitas novidades no onze inicial (destaque para a presença de Capdevila, Mora e Nelson Oliveira), o Benfica acabou por vencer com dificuldade um adversário proveniente da 2ª divisão e que prometia uma vitória "gorda" para os encarnados. Mesmo assim, o Benfica acabou por garantir a passagem para os oitavos-de-final da Taça de Portugal num jogo marcado pela chuva intensa e pelo terreno em péssimas condições na Figueira da Foz. O Benfica dominou sempre o jogo, falhando por demasiadas vezes na finalização. No 1º tempo, Nolito (por diversas ocasiões), Nelson Oliveira e Mora colocaram Taborda em apuros. No sentido inverso, Bolívia cabeceou centímetros acima do poste superior da baliza de Eduardo. Na etapa complementar, apesar da predominância do jogo benfiquista, a Naval entrou mais aguerrida. Ao abrir da 2ª parte, Javi García e João Pedro (Naval) podiam ter marcado. Pouco mais tarde, o figueirense Bolívia estaria muito perto de marcar, falhando um golo fácil já dentro da grande área. Bruno César e Ruben Amorim podiam ter aberto o marcador, mas Taborda esteve certamente num "dia sim". Jorge Jesus lançou Rodrigo e, passado dois minutos da sua entrada, o avançado hispano-brasileiro fez o único golo da partida, rematando sem hipóteses para o fundo das redes figueirenses. Em suma, um jogo que podia ter dado num resultado mais avultado e que acabou por ser pobre em golos, salientando a fraca capacidade de finalização dos jogadores do Benfica que apenas Rodrigo conseguiu ocultar.


MVP - Rodrigo: Já marcou 5 golos em 4 partidas. Fez a diferença, mesmo estando apenas 9 minutos em campo. Continua a provar a Jorge Jesus que merece ser uma aposta contínua no onze inicial da equipa da Luz.
Nolito: Esteve perto de marcar por muitas ocasiões, colocando em alvoroço a defesa da Naval sempre que pegou na bola.
Capdevila: Apesar da falta de rotina, esteve muito bem, não facilitando defensivamente. A verdade é que não tem grande fulgor ofensivo, mas compensa essa lacuna com segurança e experiência.
Nelson Oliveira: O jovem avançado português esteve a bom nível. Esteve muito perto de marcar por uma ocasião e dinamizou a frente de ataque encarnada.

Lendas e Glórias: Franco Baresi

Nascido no ano de 1960 em Travagliato, uma pequena cidade italiana, Baresi foi um dos melhores líberos de todos os tempos (para alguns o melhor), ao lado de jogadores como Beckenbauer, Maldini, Krol ou Scirea.

Até aos seus 12 anos, o futebol foi sempre um mundo longínquo e desinteressante, mas com a chegada do seu irmão Giuseppe ao Inter, o jogo despertou-lhe curiosidade e decidiu tentar a sorte nuns testes nos nerazzurri, porém foi reprovado. Decidiu tentar a sorte no rival AC Milan, onde conseguiu ganhar um lugar nas camadas jovens. Começou por ser avançado, mas a sua técnica levou-o a jogar a médio ofensivo. As qualidades defensivas salientaram-se e passou para trinco. Mais tarde, já nos juniores milaneses, passou para defesa-central. Depois seguiu o exemplo do seu ídolo Gaetano Scirea, passando a jogar a líbero (já nos seniores), o que viria a deliciar os adeptos rossoneros. Baresi destacava-se pela tranquilidade, sentido posicional e qualidade técnica, a par de uma velocidade invulgar que o fazia ser mais rápido nas antecipações.

Apenas jogou na sua carreira futebolística pelo AC Milan por mais de 20 anos (1974-1997), onde disputou 719 partidas oficiais e fez 33 golos. Aí venceu seis campeonatos italianos, três Taças dos Campeões Europeus (na época dourada de Gullit, Rikjaard e Van Basten), dois Mundiais de Clubes, três Supertaças Europeias e quatro Supertaças Italianas. Pela seleção, atuou por 81 ocasiões, disputando três Mundiais (1982, 1990 e 1994). "Reformou-se" em 1997 com 37 anos. Em seu reconhecimento, o AC Milan retirou para sempre a sua camisola nº 6.

Nota Final: 18/20

Manchester persegue Hulk

O Manchester United estará a preparar um proposta pelo jogador do FC Porto, Hulk. Os ingleses podem realizar uma proposta na ordem dos 30 Milhões de Euros, juntando Berbatov ao negócio que se espera demoroso. O clube de Manchester não está sozinho na luta pela contratação do brasileiro, também o Anzhi se associa a Hulk. O Chelsea é outro dos possíveis caminhos para o extremo, sendo que a imprensa inglesa aponta para um negócio no valor de cerca de 45 milhões de Euros, rumando assim Hulk ao clube de Villas-Boas.

Benfica quer ganhar a Taça de Portugal

Naval vs. Benfica (20.15 - SporTV)
Os pupilos de Jorge Jesus não têm outro objetivo hoje, apenas ganhar, para isso, o Benfica tem de passar por cima de uma Naval, que embora no 2º escalão, possui um bom leque de jogadores. Os lisboetas poderão entar em campo com uma equipa menos habitual, Nélson Oliveira, Matic, Mika/Eduardo, Capdevila/Luis Martins entre outros, podem aproveitar para se impor no onze encarnado, podendo ainda haver outras surpresas, como a inclusão de Rodrigo Mora e o retorno de Saviola. A Naval deverá beneficiar de contra-golpe e assim criar algumas situações de perigo, que se esperam inconsequentes, tendo em conta a forte muralha benfiquista. O duelo frente ao Sporting, para a Liga aproxima-se, portanto Jorge Jesus terá ainda muito que pensar relativamente à equipa que logo à noite vai presenciar no estádio 1º de Maio.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Euro 2012 bem constituído

O Europeu que se vai realizar na Polónia e na Ucrânia no próximo ano está bem constituído, com várias equipas de renome. No grupo A, a Alemanha não permitiu veleidades e venceu o seu grupo, com 10 vitórias noutros tantos jogos, a Turquia quedou-se em 2º lugar, à frente da Bélgica, com apenas 2 pontos de vantagem. No 2º grupo, a Rússia venceu-o, passando à frente de Irlanda (21 pontos), arménia (17) e Eslováquia (15). No grupo 3, a Itália não deu hipóteses e ficou em 1º lugar, a Estónia surpreendeu e ficou em 2º à frente de Sérvia e Eslovénia. No grupo D, a França garantiu o apuramento direto com apenas mais um ponto de vantagem sobre a Bósnia, a Roménia ficou em 3º e não se apurou. No grupo E, a Holanda, obteve o primeiro lugar, perante uma surpreendente Suécia que garantiu 24 pontos, e embora tenha ficado em 2º, apurou-se diretamente para a fase final. No 6º grupo, a Grécia de Fernando Santos, ficou no topo, ficando à frente da Croácia e de Israel. A Inglaterra, venceu o grupo G, ficando Montenegro em 2º lugar. Portugal ficou no grupo H, finalizou em 2º, atrás da Dinamarca e com os mesmos pontos do 3º. O último grupo foi indubitavelmente vencido pela Espanha, com a República Checa a quedar-se em 2º lugar. Nos playoff, República Checa, Irlanda, Portugal e Croácia, juntaram-se a Suécia, Dinamarca, Alemanha, Rússia, Itália, Polónia, Ucrânia, Grécia, Inglaterra, França e Espanha, na fase final do 14º Europeu da história.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Polónia e Ucrânia, aí estamos nós!

Portugal 6-2 Bósnia
Portugal carimbou finalmente o apuramento para o Europeu de 2012, após um jogo bem conseguido pela "equipa das quinas", numa partida que chegou a ser difícil. A seleção portuguesa começou bem, com várias ofensivas perigosas para a Bósnia, Cristiano Ronaldo era por esta altura o mais inconformado. Foi mesmo pelo CR7 que Portugal atingiu a liderança no marcador, Ronaldo de pontapé livre, apontou, aos 7 minutos o primeiro golo da partida. O domínio manteve-se, e aos 23', Nani a fazer um grande golo, com um remate de muito longe, sem mínimas hipótese para Begovic. Aos 40' a Bósnia beneficia de uma grande penalidade cometida por Fábio Coentrão, Misimovic encarregou-se de bater o castigo máximo e não falhou, indo Portugal para o intervalo a ganhar à Bósnia por um resultado perigoso. A 2ª parte do encontro foi perfeita para Portugal, Lulic é expulso e Cristiano Ronaldo bisa no encontro, isto em cerca de 10 minutos. Mas a "equipa de todos nós" fez-se de rogada e cedeu o 2º golo da Bósnia aos 65', na marcação de uma bola parada, Spahic apareceu isolado em frente a Rui Patrício e não falhou. 5 minutos após este contratempo, Postiga faria um bom golo, deixando Portugal, de novo em boas condições. Até o término do jogo, Miguel Veloso aos 79' e Postiga aos 81' também marcaram, tornando a vitória mais glamourosa.

MVP - Cristiano Ronaldo: O capitão português realizou uma boa exibição, apontando dois golos de belo efeito, jogando em prol do colectivo, ajudando decisivamente Portugal a marcar presença no próximo Europeu.
Hélder Postiga - Parecia perdido no jogo até que apontou dois golos em 10 minutos e contribuiu para fazer descansar os portugueses.
João Moutinho - Demonstrou toda a sua classe. Passes a rasgar a defesa da Bósnia, um verdadeiro pêndulo, tendo sido importantíssimo, não só neste jogo como durante o apuramento.
Miguel Veloso - O 2º melhor elemento em campo, recuperou bolas, jogou com segurança e até marcou. Pode discutir a titularidade no Euro.
Nani - Menos exuberante do que o habitual, Nani conseguiu apontar um belo golo, não tendo no entanto, jogado como se esperava.
Dzeko - O melhor elemento da Bósnia, Dzeko é mesmo um jogador de classe Mundial jogou, fez jogar, apenas não marcou. Infelizmente não tem quem o acompanhe na seleção, o Europeu de 2012, perdeu ontem uma grande estrela.

Futebol: De 1990 aos tempos modernos (Parte 6)

A década de 1990 foi de surpresas, desde logo no Mundial desse ano, a Argentina foi vencendo os seus adversários com brilho e chegou á final sem grandes dificuldades, em solo italiano, o "país das pampas" foi derrotado pela RFA, com um golo de penalti, já perto do fim. Em 1994, novo Campeonato FIFA, realizado nos Estados Unidos, foi um sucesso. O Brasil ganharia-o, ao bater a Itália na final, com Taffarel, Romário e Dunga a serem preponderantes. Quatro anos volvidos a França recebe e vence o mundial, com Zidane a comandar os "gauleses" ao primeiro super-sucesso. Na viragem do século ocorre novo Mundial, na Coreia do Sul e no Japão, foi o Brasil a voltar a triunfar num Campeonato do Mundo. Em 2006, a Itália conquista o seu 4º Mundial, derrotando a França na final. O último Mundial desta saga ocorreu pela primeira vez na África, na África do Sul, a Espanha garantiu o seu primeiro Mundial, batendo na final a Holanda.

Relativamente a Europeus, em 1992 a Dinamarca iluminou-se e venceu este Europeu. Quatro anos depois esteve perto de ocorrer nova surpresa, a República Checa chegou à final, mas perdeu-a para a Alemanha. 2000, ano de França que venceu o Europeu de Bélgica e da Holanda, Portugal quedou-se em 3º/4º lugar. Em 2004, Portugal realizou o melhor Europeu da sua gloriosa história, a jogar em em casa, os portugueses apenas cairiam perante a Grécia. O último Europeu desta saga sucedeu-se em 2008, com vitória para a Espanha.

A nível doméstico, as equipas mais destacadas nestes 20 anos foram: Real Madrid e Barcelona (Espanha), Manchester United e Arsenal/Chelsea (Inglaterra), Bayern de Munique e Dortmund (Alemanha), Lyon e Marselha (França) e Juventus e Inter de Milão (Itália).

Em relação à Liga dos Campeões, existiram várias surpresas, realçando as vitórias de Estrela Vermelha (1990/91), Marselha (1992/93), Ajax (1994/95), Dortmund (1996/97) e FC Porto (2003/04). Barcelona (3 ocasiões), AC Milan (3), Real Madrid (2), Manchester United (2), Juventus, Bayern de Munique e Inter de Milão, também festejaram a maior conquista que um clube pode obter.

No panorama nacional, o FC Porto dominou claramente conquistando uma hegemonia de certa forma surpreendente.

Fernando Machado

Ps: Veja os outros artigos da "saga" no separador 'Opinião'.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Craques de Amanhã: Paul Pogba

Este trinco francês (com ascendência africana) é um diamante em estado puro em pleno estádio Old Trafford. Após um grande esforço de Sir Alex Ferguson em garantir os seus préstimos, os Red Evils conseguiram garantir em 2009 uma das maiores promessas emergentes do futebol mundial ao Le Havre. Foi mesmo no modesto clube francês que deu os primeiros passos no futebol, mas foi o técnico do United a potenciar todas as suas capacidades. Titular em todas as camadas jovens francesas até hoje, destaca-se pela sua capacidade física. Com mais de 190 cm, não se cinge a tarefas defensivas, sendo um típico box-to-box inglês.

Parecendo ocupar todo o terreno de jogo, o 42 dos pupilos de Alex Ferguson é um jogador muito forte fisicamente, aparecendo com grande velocidade em ambas as áreas. Rouba a bola com facilidade num lado e remata-a com força e colocação do outro. A técnica não é abundante, mas mesmo assim, Pogba vai dando passos em direção a uma titularidade constante no maior clube britânico.

Nota Final: 15/20

Futebol: De 1970 a 1990 (Parte 5)

Depois de uma década de 1960 avassaladora para Portugal (3º lugar no Mundial de 1966 e domínio do Benfica na Europa) iniciava-se uma nova era. O Benfica reinaria na década de 1970, mas teve um declínio nos anos 80, contrastando com a ascensão do FC Porto. Para já começava um novo Mundial. O México recebia em 1970 o 9º Campeonato do Mundo na história, o Brasil venceria-o ao derrotar na final a Itália na final por 4-1. A "canarinha" foi indubitavelmente a melhor seleção da prova, desde logo na fase de grupos defrontava a Inglaterra, as duas melhores equipas nacionais do Mundo. O jogo terminou sem golos, mas com uma exibição fabulosa de Gordan Banks, o guarda-redes inglês, que teve uma intervenção a cabeceamento de Pelé, considerada a "melhor do século". O Mundial confirmou o domínio do Brasil sobre os demais, a entrada absoluta de Pelé para a galeria de honra do futebol ao ser tricampeão mundial. Dirigindo agora atenções à Taça dos Campeões Europeus, o Ajax ganhou as edições de 1970 a 1972 conquistando de novo o maior galardão de futebol na Europa em 1974. O Bayern de Munique foi igualmente tricampeão recolhendo três títulos consecutivos. O Liverpool venceu por 4 ocasiões, o Forest por duas, o AC Milan também por duas, o Aston Villa, Hamburgo, Juventus, Steua, FC Porto e o PSV conquistaram igualmente esta competição porém apenas por uma vez.

Retomando a Mundiais, em 1974, a anfitriã foi a RFA, com vitória final para os da casa após vencerem a Holanda de Cruyff por 2-1. No Mundial seguinte, a seleção vitoriosa foi também a anfitriã, desta feita a Argentina derrotando de novo a "laranja mecânica" (desfalcada de Cruyff). Em 1982 a Itália venceu a mesma prova, desta vez em Madrid, com muito catenaccio mas com uma grande eficácia em termos ofensivos. Em 1986 a Argentina venceu com Maradona a ser a principal estrela em terras mexicanas. Portugal esteve presente mas não passou da fase de grupos.

De forma doméstica as equipas que mais se salientaram nas principais ligas europeias, foram: Real Madrid e Barcelona (Espanha), Liverpool e Arsenal (Inglaterra), Mönchegladbach e Bayer Munique (Alemanha), Saint-Étienne e Marselha (França) e Juventus e AC Milan (Itália). No panorama nacional, o Benfica mantinha ainda muitas das suas estrelas como Eusébio ou Simões, às quais se juntavam Humberto Coelho e Nené. Na década de 70, os encarnados continuaram a dominar com supremacia na Taça de Portugal e Campeonato. Em 1986/87, os portistas atingiram o auge, vencendo a Taça dos Campeões Europeus frente ao Bayern de Munique. Aliás, os dragões dominaram o panorama nacional na 2ª metade da década de 80, arrecadando diversos campeonatos com a recente chegada à presidência de Pinto da Costa.

Relativamente aos Europeus, o de 1972 realizado pela Bélgica culminou com a vitória final da RFA. Em 1976, foram os checoslovacos a sairem vitoriosos da competição. Em 1980, a RFA garantiu a sua 2ª vitória na competição na sua 3ª final consecutiva. O Europeu de 1984 marcou a 1ª presença de Portugal em campeonatos da Europa. Os portugueses chegaram às meias-finais, mas foram derrotados pela França de Platini, que acabaria por se sagrar campeã. Em 1988, a Holanda ganha finalmente uma prova, desta feita com Marco van Basten, Gullit e Rikjaard, destacando-se o 1º pelo golo fenomenal que apontou na final à URSS.

A hegemonia total do FC Porto estava a começar, a Argentina reinava no mundo e apenas uma equipa parecia poder acabar com a glória, a RFA. O AC Milan de Baresi, Rikjaard, Gullit e van Basten ascendia ao topo da Europa e preparava-se para reinar no futebol europeu por pouco mais...

Fernando Machado

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Portugal cede um empate à Albânia

Albânia 2-2 Portugal
A seleção portuguesa de sub-21 foi à Albânia, mas a falta de eficácia acabou por provocar um empate frente a uma equipa frágil e que prometia ser facilmente derrotada. Portugal continua na luta pelo apuramento para o campeonato europeu de 2013, mas esta tarefa tornou-se deveras mais difícil. Os pupilos de Rui Jorge entraram mais confiantes e Josué abriu o marcador aos 2 minutos, respondendo com um bom cabeceamento a um cruzamento de Ruben Ferreira. A Albânia empatou já no decorrer da 2ª parte por intermédio de Sadiku. Wilson Eduardo voltou a marcar pelos sub-21, fazendo o 2-1. Sadiku bisou, empatando a partida já aos 77 minutos. Até fim, Portugal tentou fazer o 3-2, mas o esforço foi em vão. Será que os sub-21 portugueses ainda se conseguirão apurar para o Euro do escalão?

Craques de Amanhã: Jordi Alba

Com a desvalorização de Joan Capdevila e a falta de qualidade de Nacho Monreal para uma seleção campeã do mundo, surge um problema na lateral-esquerda espanhola que tem sido remendado com a adaptação de Arbeloa. Mas em breve esse problema se dissipará, quando o defesa-esquerdo do Valencia Jordi Alba ganhar maior maturidade defensiva. Este médio-esquerdo veloz e baixo adaptado à posição mais recuada da sua ala por Unay Emery, demonstra uma grande projeção ofensiva. Formado no Valencia, rumou ao Gimnástic por uma época. Brilhou a ala e regressou ao clube do seu coração. Brilhou nos sub-21 espanhóis (Jeffrén jogava a lateral-direito) durante o Europeu deste escalão. Na época passada ganhou a titularidade no Valencia na posição de defesa-esquerdo. Alba tem 170 cm, jogando os 90 minutos em alta rotação. Entrega profundidade ao jogo valenciano, apresentando um leque de dribles muito vasto, aparecendo por diversas ocasiões na área para finalizar. O seu problema mais evidente é a falta de dinâmica defensiva, falhando bastante nos timings de subida e na marcação.

Nota Final: 16/20