domingo, 29 de janeiro de 2012

Fim da hegemonia

Gil Vicente 3-1 FC Porto
O FC Porto perdeu em Barcelos e quebrou uma série de 55 jogos sem perder na Liga. Além do mais, o emblema azul e branco viu a sua distância pontual para o Benfica alargada para 5 pontos.

Os gilistas, mais eficazes durante todo o jogo, chegaram à vantagem por intermédio do central Cláudio, que saltou mais alto que os defesas portistas, cabeceando para o fundo das redes de Helton. O Porto ia tentando realizar um ataque continuado, mas os minhotos iam causando mais perigo no contra-ataque. Já perto do fim do primeiro tempo, o mesmo Cláudio bisou, através da conversão de uma grande penalidade, aumentando as preocupações dos dragões.

A etapa complementar inicou-se com mais um golo dos da casa. Aos 52 minutos, André Cunha, depois de uma boa jogada individual, fez o 3-0. À passagem do minuto 76, Varela diminuiu a vantagem da equipa de Barcelos com um remate colocado, já dentro da grande área azul e branca. Até fim, o FC Porto tentou chegar à vantagem, mas a exibição do guardião dos visitados, Adriano, foi demasiado boa...

MVP - Cláudio: O camisola 44 dos gilistas bisou, mostrou-se tranquilo defensivamente e voltou a mostrar o porquê de, aos 34 anos, estar a ser uma das revelações da temporada.
Adriano: O guardião do Gil Vicente rubricou uma fantástica exibição. Nos últimos 20 minutos, efetuou um par de grande defesas, além de ter feito algumas outras paradas de bom nível. Sem culpas no golo portista.
Belluschi: O médio argentino entrou e o jogo da sua equipa alterou-se por completo. Apresentou-se muito criativo e fez a assistência para o golo de Varela.
Varela: Foi, porventura, o elemento mais preponderante no jogo dos dragões. Marcou o único golo da turma de Vítor Pereira e, tal como o seu técnico referiu, promete fazer uma 2ª grande volta.

Projeto de futuro no Marcolino Castro

Ontem, frente ao Benfica e num renovado Estádio Marcolino Castro, voltou a ficar bem patente que, atualmente, o Feirense constitui um bom projeto de futuro. O 12º lugar do emblema de Santa Maria da Feira não é fantástico, mas as exibições dos "fogaceiros", principalmente perante os "grandes", têm impressionado o mais cético adepto.

O técnico Quim Machado e a direção dos "azuis da Feira" montaram um projeto realista, com um orçamento baixo de forma a manter as contas em dia e que, mesmo assim, deu para conquistar a subida na temporada passada. Com cerca de 60% de portugueses nas suas fileiras, o Feirense é a equipa mais lusa da Primeira Liga e não é por isso que não possui jogadores de qualidade. Aliás, os futebolistas mais talentosos do clube são mesmo portugueses: o veterano guardião Paulo Lopes, o médio Hugo Cunha e o extremo Ludovic. Este Feirense aguerrido e pragmático está pronto para outros voos...

Francisco Cunha

Paços e Olhanense em grande

Vit. Setúbal 2-3 OlhanenseVitória de Setúbal e Olhanense reservaram-nos uma verdadeira festa de futebol, com golos, reviravoltas e futebol, muito futebol. Logo aos três minutos, os sadinos adiantam-se no marcador. O recém-chegado Meyong converte da melhor forma uma grande penalidade cometida por Toy sobre João Silva. Este golo apenas serviu para abrir o apetite aos visitados, e aos 9 minutos, Fernando Alexandre faz auto-golo, e deixa o Vitória com uma vantagem confortável. Mas o Olhanense não arredou pé e, aos 22 minutos, reduz a desvantagem para 2-1, com golo de Yontcha. A forma como o duelo estava a decorrer teria de premiar a turma de Olhão. E foi mesmo isso que se sucedeu, com Yontcha, de novo, a bater o guardião do Vitória, empatando as contas do jogo. A partida ficou emocionante, com ambas as equipas a fazerem de tudo para recolher três pontos tão importantes na luta pela permanência. A fava saíria para o lado de Sérgio Conceição, já que aos 78 minutos, Ismaily conclui a reviravolta, com assistência de Vasco Fernandes. Resultado que deixa o conjunto de Conceição em boa posição para assegurar a premanência.

União de Leiria 2-4 Paços de FerreiraA partida entre União de Leiria teve os mesmos condimentos do jogo atrás referido: golos, reviravoltas e muito futebol. Ogu, logo aos 7 minutos, colocou os de casa em vantagem, após passe de Obradovic. O Paços tinha de correr atrás do prejuízo, mas Manuel José não sentiu pressão, colocando a sua equipa empatada, com golo aos 25 minutos. Três minutos volvidos, o mesmo interveniente volta a fazer das suas com mais um golo. Mais tarde Ogu bisaria (45 minutos) e Michel, na segunda parte também marcaria em dose dupla. Resultado que liberta o Paços da linha de água.

Capitão América acaba com o pesadelo

Sporting 2-0 Beira-Mar
O Sporting garantiu a primeira vitória em 2012, apesar de manter ainda um invulgar 4º lugar e até poderá descer para 5º, caso o Marítimo vença o Braga amanhã. Perante os seus adeptos, a turma de Domingos Paciência manteve sempre o controlo do jogo, sem brilhar, fazendo valer de dois golos de Onyewu para garantir a vitória.

Os leões voltaram a mostrar-se fortes nas bolas paradas e, aos 18 minutos, Onyewu cabeceou para o fundo das redes adversárias, após a marcação de canto. O defesa americano só precisou de 10 minutos para voltar a faturar. Na sequência de um livre batido por Capel, o camisa 5 do emblema verde e branco não teve dificuldades em fazer mais um. Por sua vez, o Beira-Mar apresentou uma boa réplica ao futebol dos lisboetas, tendo visto dois dos seus remates a embater no ferro da baliza dos da casa. Em suma, um resultado justo num jogo um tanto desinteressante e que serviu para levantar os ânimos da equipa de Alvalade.

MVP -Onyewu: O defesa-central de 29 anos voltou a marcar, desta vez por duas ocasiões. Já começa a ser um hábito ver o internacional norte-americano a fazer a diferença em Alvalade.
Matías Fernández: Grande exibição do criativo chileno. Pautou todo o jogo leonino, destacando-se na hora de circular a bola pelas quatro linhas.
Carrillo: O jovem extremo peruano, apesar de se ter agarrado muito à bola, conseguiu desequilibrar, sendo o elemento mais no tridente atacante da sua equipa.
Ribas: O novo avançado do Sporting começou a mostrar-se no jogo de hoje. Com bons pormenores, percebe-se que ainda não está entrosado na formação leonina.
Renato Neto: Foi o pior elemento dos leões. Muito "trapalhão", perdeu diversas vezes a bola, apresentando mais uma vez má qualidade de passe.

Craques de Amanhã: Ludovic

Ludovic debuta no Feirense, mas a sua qualidade é incontestável. O extremo de 21 anos nasceu em Paris, porém é já internacional sub-21 pela seleção portuguesa. Ambidestro, impressiona pela velocidade estonteante, pela qualidade técnica, pela inteligência tática nas desmarcações e pela raça com que se entrega a cada lance.

O jogador mais interessante dos "fogaceiros" tem evoluído a olhos vistos desde que chegou à primeira divisão portuguesa e perspetiva-se que, em breve, chegue a um clube com outras ambições de forma a poder evoluir de forma mais consequente. Está ali um bom valor luso.

Nota Final: 14/20

sábado, 28 de janeiro de 2012

Reviravolta sofrida

Feirense 1-2 Benfica
Em Santa Maria da Feira, com estádio cheio (apesar dos bilhetes a 60 euros), o Benfica teve de sofrer para vencer um Feirense aguerrido, que ofereceu uma bela réplica aos líderes do campeonato.

Os forasteiros entraram melhor na partida, mas foi cedo que os visitados se mostraram com vontade de criar perigo junto da baliza de Artur. Ao quarto de hora de jogo, Diogo Cunha, com um remato um tanto caricato, acertou na trave dos encarnados. Já perto do fim do primeiro tempo, Rodrigo cabeceou para uma grande defesa de Paulo Lopes, após uma boa combinação entre Axel Witsel e Maxi Pereira.

A formação de Quim Machado entrou com um futebol mais fluido para a etapa complementar e, aproveitando um Benfica apático nos minutos iniciais do segundo tempo, abriu o ativo, por intermédio de Varela que, depois de um canto para os da casa, subiu mais alto que os demais. Pouco tempo depois, o mesmo Varela fez um auto-golo e deu o mote para a vitória das águias. Aos 73 minutos, de novo Varela: o defesa do Feirense cometeu falta sobre Rodrigo dentro da sua grande área. O árbitro Rui Costa apontou para a marca dos 11 metros. Na hora do castigo máximo, o paraguaio Cardozo não falhou. De salientar a queda de um painel publicitário no festejo do referido golo por parte de alguns dos adeptos benfiquistas e o consequente tombo dos mesmos. Em suma, um jogo em que o Benfica não pode dominar, não por demérito da turma de Jorge Jesus, mas sim pelo mérito dos visitados.

MVP - Paulo Lopes: O guardião do Feirense efetuou três ou quatro grandes defesas. Foi muito por causa deste veterano luso que o Feirense pôde lutar até fim pelo ponto com o Benfica.
Rodrigo: Esteve muito perto de faturar por duas ocasiões, colocando em água a cabeça da defensiva de Santa Maria da Feira. O jovem hispano-brasileiro é, cada vez mais, um caso sério.
Witsel: Jogando nas costas de Aimar, foi excelente. Jogando como "10", foi... excelente. Para o belga, não interessa a posição que ocupa, já que a sua classe inconfundível fica sempre bem patente em qualquer partida dos encarnados.
Ludovic: O extremo português do Feirense foi o elemento mais esclarecido do tridente de ataque da formação de Quim Machado, provocando grandes dificuldades a Emerson.

Nos "oitavos" com sofrimento

Queens Park Rangers 0-1 Chelsea
Em jogo a contar para os 16 avos-de-final da Taça de Inglaterra, o Chelsea conseguiu vencer em Loftus Road e seguir em frente na Taça de Inglaterra.

Numa partida nem sempre bem disputada, foi através de Mata que a partida teve brilho. Foi o espanhol que municiou o ataque do conjunto de Villas-Boas, e foi o internacional pela "roja" que apontou o único golo da partida, aos 61 minutos. Os "blues" vencem num jogo em que Fernando Torres voltou a demonstrar e a comprovar que não é o mesmo e que terá de alterar o rumo da sua carreira.

"Red devils" fora da taça

Liverpool 2-1 Manchester United
Em jogo a contar para os 16 avos de final da Taça de Inglaterra, foi o Liverpool a levar a melhor, rumando aos oitavos de final da Taça de Inglaterra, deixando para trás um Manchester United pouco atrevido e apático.

Logo aos 17 minutos os "red devils" ameaçaram, com Antonio Valencia, após uma excelente jogada individual, a acertar em cheio no poste. Os "reds" não baixaram os braços e, aos 21 minutos, marcaram mesmo golo, por intermédio de Daniel Agger. O dinamarquês beneficiou do enorme alvoroço na área do Manchester e apontou o primeiro golo da partida. A turma de Alex Ferguson não conseguia alcançar o empate, com jogadas sem nexo e disparatadas. No entanto foi neste tónico que o Liverpool largou a vantagem. Por volta dos 38 minutos, Ji-Sung Park empatou o jogo, muito graças a Rafael, que teve uma jogada de inspiração. A partida estava desinteressante, com um jogo pouco fluido. A determinada altura do jogo percebeu-se que a sorte iria descambar para um dos lados, mas para qual? Foi para o lado do conjunto de Kenny Dalglish. Kuyt conclui uma jogada sem brio e em que apenas três jogadores lograram tocar na bola, tendo sido um deles o guardião dos visitados, Reina.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Vitória apertada

Vit. Guimarães 1-0 Nacional
A abrir a 17ª jornada da Liga, o Vitória de Guimarães recebeu e venceu, pela margem mínimo, o Nacional da Madeira.

Num jogo abundante em grandes ocasiões de golo, Paulo Sérgio obrigou Vladan, o guardião dos insulares, a efetuar uma grande exibição no decorrer do primeiro minuto da partida. Pouco tempo depois, o nacionalista Keita cabeceou contra o poste da baliza de Nilson. O Nacional que, na primeira parte, foi a equipa mais perigosa, viu Diego Barcellos, por duas ocasiões, e novamente Keita a falharem de forma escandalosa. A partir da hora de jogo, os vimaranenses pegaram no jogo e, após falta de Danielson na área dos visitantes, foi assinalado o castigo máximo que Edgar não teve dificuldade em converter, fazendo assim o seu 9º golo nesta edição do campeonato. Esta partida ficou igualmente marcada pelo regresso às quatro linhas de Urreta, após uma prolongada lesão do extremo uruguaio emprestado pelo Benfica.

O fantasma da Série A

Nos dias de hoje, pode-se dizer que um "fantasma" assombra o futebol italiano. Um país que outrora possuía equipas a lutar pela Liga dos Campeões ou alguns dos melhores futebolistas do mundo nas suas fileiras, vê-se agora ultrapassado pela Liga inglesa, espanhola ou alemã, além da francesa que se encontra em pleno crescimento.

Os estádios estão vazios, os grandes já não são o que eram, algo ainda mais patente desde a saída de Mourinho e poucos grandes jogadores militam na Serie A (em termos de jogadores de qualidade tremenda, apenas me vem à cabeça o nome de Ibrahimovic). Os clubes já não parecem capazes de lutar com os "tubarões" europeus (Barcelona, Real Madrid, Man. United ou Chelsea), nem sendo inseridos nesse lote. Tal acaba por se refletir na capacidade económica das equipas, que não têm aptidão para conseguir contratar as estrelas emergentes do "velho continente" (apenas a Juventus tem trabalhado neste sentido), que acabam por vender as suas "pérolas" (Pastore, Eto'o ou, em breve, Cavani). Porém, este problema suscita igualmente o crescimento e/ou ressurgimento dos clubes mais modestos, tais como o Nápoles, com Hamsik, Cavani e Lavezzi, a Udinese, com Isla e Di Natale, o Palermo, com Ilicic e Miccoli, ou o Génova, com Miguel Veloso e Palacio.

Tal tormento, reflete-se também na seleção. A "squadra azzurra" vive à sombra das suas "velhas" glórias (Buffon, Chiellini, Pirlo ou Cassano) e, apesar de ter garantido com relativa facilidade o apuramento para o Euro 2012, não figura, ao contrário do que é normal, nos candidatos à vitória da competição. Nocerino, Giovinco e Osvaldo têm sido alguns dos jovens italianos a chegarem à seleção recentemente, porém a sua qualidade não é meritória para a titularidade numa formação tão histórica como a de Prandelli.

Francisco Cunha

Só com um pedido de desculpas

Ao que avança o diário "Record", ou Ruben Amorim ruma para outro clube, ou, então, pede desculpas aos companheiros de equipa, treinador e staff técnico.

Desde que o processo disciplinar foi instaurado sobre o médio português, devido a declarações públicas onde o próprio criticou Jorge Jesus, que a distância entre a SAD e o jogador, que hoje completa 27 anos, se tem extremado. Sendo assim, só com uma atitude de humildade do internacional luso é que este poderá manter o emblema encarnado ao peito. Caso tal aconteça, o ex-Belenenses não escapará a uma sanção disciplinar.

Lendas e Glórias: Fernando Chalana

Fernando Albino Sousa Chalana é o nome de um dos jogadores portugueses mais empolgantes de sempre. Nasceu no Barreiro, a 10 de fevereiro de 1959, tendo começado a jogar futebol na temporada de 1973/74, nas camadas jovens do clube da sua terra natal, o Barreirense. Bastou um ano nas reservas do clube do Barreiro para interessar ao Benfica, que, em momento oportuno, avançou para a sua contratação. A época de 1975/76 ficou marcada pela sua estreia com a camisola encarnada, embora sem grande interferência no projeto benfiquista. Mas, após este anos, "Chalanix" tornou-sae uma referência incontornável do clube da Luz, entusiasmando a exigente massa associativa das águias.

O momento decisivo na carreira do "Pequeno Genial" ocorreu no ano de 1984, ano de Europeu, em França. A comitiva portuguesa realizou uma prova para além do expectável, apenas cedendo nas meias-finais, perante a anfitriã, a França. Os gauleses apenas venceram no prolongamento, depois de terem estado a perder por 2-1. Nesse Euro, Chalana revelou-se como um dos melhores extremos do planeta, com uma qualidade de finta assinalável. Os olheiros franceses ficaram desde logo embriagados com os dotes sobrenaturais de "Chalanix", pelo que tentaram a todo o custo resgatá-lo ao Benfica. Foi o Bordéus a levar a melhor, pagando uma quantia exorbitante, conseguindo a contratação de um jogador, que, pese já não estar na sua juventude, continuava a espelhar em campo toda a sua qualidade. Depois de permanecer três anos em França, Chalana regressou ao "seu" Benfica, que representou por mais três anos. Em 1990/91 jogaria no Belenenses, representando no ano seguinte o Estrela da Amadora, que, inclusive, seria o seu último clube como profissional.

O "Pequeno Genial" alinhava a médio lateral ou a extremo, tendo como predicados a velocidade estonteante e o reportório de fintas descomunal. Chalana criava várias fintas por jogo, sendo muito difícil de travar no um para um. O número de assistências que o próprio realizava por temporada também deve ser tomado em conta, bem como a humildade que o tem acompanhado durante os seus anos de vida e que foi peça fundamental para o crescimento do próprio.

Nota Final: 17/20

Craques de Amanhã: Ola John

Ola John nasceu na Libéria, mas foi com tenra idade que chegou à Holanda, país pelo qual já é internacional sub-19.

Formado no Twente, não tem sido muito utilizado nos "Tukkers", todavia, sempre que entra em campo, causa alvoroço na defesa contrária. O extremo esquerdo de apenas 19 anos é um jogador rápido, tecnicista e com aquela "ginga" dos predestinados, brilhando na ala canhota, com toda a sua classe. Apesar de estar tapado por Chadli e Luuk De Jong, tem recolhido muitos interessados pelo mundo, que pretendem poder usufruir de todo o potencial deste jovem. John é um legítimo exemplo de um jogador que, com uma aposta mais consequente, poderá tornar-se numa referência mundial.

Nota Final: 16/20

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Barcelona elimina Real Madrid

Barcelona 2-2 Real Madrid
Em partida referente à Taça do Rei, o Barcelona beneficiou da vitória por 2-1 no Santiago Bernabéu e, depois um empate a duas bolas "arrancado a dentes" em Camp Nou, já está nas meias-finais da competição (jogará com Valencia ou Levante).

No entanto, foi o Real Madrid a entrar melhor na partida. A turma de José Mourinho dispôs de diversas ocasiões para chegar à vantagem (remate à barra de Ozil e lance cara-a-cara entre Higuaín e Pinto), porém os visitantes não se mostraram com capacidade, pelo menos na primeira parte, de minar a defesa "blaugrana". O Barcelona aproveitou a displicência dos seus adversários, cresceu no jogo e, aos 43 minutos, Messi arrancou desde o meio-campo e deu em Pedro Rodríguez (que havia entrado para o lugar do lesionado Iniesta) que não teve grandes dificuldades a desviar a bola de Casillas. Pouco tempo depois, no decorrer de um livre à entrada da área madrilista, Daniel Alves, com um remate fantástico, fez o 2-0.

O Barcelona entrou dominante na segunda metade, mas um golo de Cristiano Ronaldo, na sequência de um erro de marcação dos anfitriões, serviu para fazer o primeiro golo do Real Madrid. A formação "blaugrana" tornou-se mais ansiosa e os "merengues" pegaram no jogo. Pouco tempo depois, o francês Benzema, depois de uma bela jogada individual, empatou a partida. Até fim, o resultado não se alterou, e os "culés" podem festejar o apuramento para a próxima fase da segunda maior competição espanhola.

Eusébio faz 70 anos

Eusébio da Silva Ferreira completa hoje, dia 25 de janeiro de 2012, 70 anos. Nascido no bairro da Mafalala, em Lourenço Marques, atual Maputo, em Moçambique, no ano de 1942, Eusébio começou a jogar futebol minimamente "a sério" a partir de 1957, altura em que começou a debutar nas fileiras do Sporting de Lourenço Marques. A qualidade era tão evidente que vários clubes portugueses de nomeada começaram desde logo a estarem interessados na compra do dianteiro. Essas equipas eram, Sporting, Benfica e FC Porto (os "três grandes") e o Belenenses (um dos melhores clubes Luso daquele tempo). O Sporting, por o emblema de Eusébio ter o mesmo nome dos lisboetas acreditava que, legitimamente, seriam eles o dono do passe do "King". Nada mais errado, o Benfica fez uma proposta mais vantajosa que os "leões" e Eusébio rumou à Luz. 23 de Maio de 1961, dia em que o "Pantera Negra" se estreia com a camisola benfiquista no estádio da Luz. Marca três dos quatro golos ao Atlético num jogo de caráter amigável (reservas). O grande momento de Eusébio sucedeu-se em 1962. O Benfica marca, pela segunda vez consecutiva, presença na final da Taça dos Campeões Europeus, ante o favorito Real Madrid. Todavia o vencedor foi outro, o Benfica. A vitória dos encarnados ocorreu por 5-3, com dois golos do melhor jogador português de todos os tempos e uma exibição incrível do mesmo. Eusébio representou as águias desde a temporada de 1960/61 a 1974/75. Ao todo apontou 462 golos em 437 jogos pelo Benfica, marca que continua difícil de alcançar para qualquer jogador. Relativamente à seleção nacional, o "Pantera Negra" realizaou 61 jogos e marcou 41 golos, sendo o segundo melhor marcador de sempre da seleção de todos nós. Um dos momentos mais marcantes vividos por Eusébio foi precisamente pela seleção das quinas, em 1966. Ano de Mundial na Inglaterra, a seleção de Portugal marca presença e obtém um resultado final espetacular, com o terceiro lugar. Eusébio foi, portanto, a estrela desta competição, ao marcar 9 golos, sendo coroado como melhor artilheiro da prova. Antes de terminar a carreira, o atacante ainda jogaria no México, Estados Unidos e voltaria a Portugal, sem grande relevância.

O "King" teve uma carreira recheada de títulos, tais como futebolista europeu do ano (1965), duas vezes Bota de Ouro (1968, 1973), melhor marcador da taça dos Campeões Europeus, por duas vezes (1965, 1966, 1968), e ainda, segundo a IFFHS, 9º melhor jogador de futebol do século passado. A imagem caraterística de Eusébio era a velocidade estonteante e o remate fortíssimo, que o consagrou como um dos melhores jogadores da história do futebol. Só há mais uma coisa a dizer para finalizar: feliz aniversário, Eusébio!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Sporting arredado do título

Olhanense 0-0 Sporting
O Sporting continua sem vencer no novo ano civil de 2012. Ontem, em Olhão, foi a vez do Olhanense roubar pontos aos leões.

Com a lesão no aquecimento de Schaars, Domingos foi obrigado a lançar um meio-campo completamente renovado, constituído por Renato Neto, Matías Fernández e Daniel Carriço, aposta que se viria a demonstrar falhada. O Olhanense tomou as rédeas do jogo desde início, porém a falta de ousadia dos algarvios e a inspiração anormal de Rui Patrício deram um empate "arrancado a dentes" aos visitantes, que mantêm uma invulgar 4ª posição.

MVP - Rui Patrício: Se não fosse ele, o Sporting não teria "festejado" este empate. De salientar as grandes paradas promovidas pelo guardião luso.
Salvador Agra: No seu possível último jogo nos algarvios (irá rumar a Sevilha para jogar pelo Bétis) logrou efetuar uma exibição memorável, logo contra o Sporting. Muito mexido na sua ala esquerda, entregou velocidade e qualidade técnica ao futebol dos visitados.
Carrillo: O extremo peruano foi o mais incorfomado dos leões. Por momentos, pareceu que magia passava pelos pés do jovem Andre, que continua a conquistar os difíceis adeptos de Alvalade.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Benfica conserva liderança

Benfica 3-1 Gil Vicente
O Benfica não teve vida fácil e teve de suar para vencer o Gil Vicente e manter, assim, a liderança da classificação da Liga. Desde cedo que os visitantes se mostraram inspirados e, pouco depois do início da partida, Maxi Pereira parou um remate dentro da pequena área de Richard. Porém, aos 27 minutos, o paraguaio Cardozo abriu o marcador, após cruzamento de Nolito, dando o mote para a vitória encarnada. Os gilistas empataram o jogo já perto do intervalo com um remate (e que remate!) de ressaca de Rodrigo Galo.

A segunda parte começou com uma nova grande oportunidade para o emblema de Barcelos: Artur com uma bela parada impediu um golo certo de Hugo Vieira. Jorge Jesus fez a sua equipa arriscar mais e, com a entrada de Aimar, a vitória acabou por chegar. À passagem do minuto 73, o jovem espanhol Rodrigo fez o 2-1 para o Benfica com um grande golo. Apenas um minutos depois, Aimar fechou o resultado, após assistência de Nolito.

MVP - Aimar: O futebol do Benfica mudou com a sua entrada. Grandes jogadas saíram dos pés do argentino, que teve a felicidade de fazer mais um golo para abrilhantar ainda mais a sua exibição.
Cardozo e Rodrigo: Os dois avançados mais goleadores da Luz voltaram a fazer o gosto ao pé. Destaque para o constante crescimento do espanhol.
Gaitán e Nolito: O primeiro voltou a aparecer muito apagado, muito fatigado e um tanto desinspirado. Por sua vez, o ex-Barcelona voltou a mostrar-se sólido na ala esquerda benfiquista com duas assistências e uma exibição para mais tarde recordar.

A perseguição mantém-se

FC Porto 3-1 Vit. Guimarães
O FC Porto continua a somar pontos, ontem, mais três, ante o Vitória de Guimarães, que, embora se tenha esforçado, não logrou roubar pontos ao campeão nacional. Os dragões desde cedo mostraram que iriam realizar um jogo de qualidade, com muita posse de bola e toques de classe. A resistência vimanarense durou 19 minutos, altura em que Rolando assumiu as despesas de avançado e fez de Kléber, com um golo espetacular. Este golo fez com que a turma de Rui Vitória tivesse de se esforçar mais para tentar o golo. Até ao término da primeira parte, os forasteiros, pese tenham criado perigo, não conseguiram marcar.

O segundo tempo iniciou com o 2-0. Kléber, até então desaparecido do jogo, faz um excelente passe, e Moutinho, à boca da baliza, conseguiu fazer o segundo golo portista. Os visitados pareciam ter o jogo seguro, com boas jogadas de entendimento coletivo. Porém o Vitória conseguiu colocar pressão no conjunto de Vítor Pereíra. Helton faz uma defesa incompleta e Faouzi a cabecear de forma fulminante e a reduzir as contas do jogo, isto aos 59 minutos. Durante cerca de 20 minutos os portistas tiveram dificuldades em marcar, mas James fez a vontade aos adeptos portistas. Aos 76 minutos "El Bandido" sofre falta, é assinalado pénalti e o colombiano a fazer o seu oitavo golo na Liga.

MVP - João Moutinho: Moutinho voltou a assumir a batuta dos azuis e brancos, e estes voltaram a vencer. Uma exibição muito positiva, com passes a rasgar a defesa vimaranense. Ainda apontou um bom golo para coroar uma exibição de esforço e em prol do coletivo.
Kléber: Embora não tenha feito o que mais se pede aos avançados (golos), Kléber demonstrou porém que ainda tem muito a dar ao FC Porto. Foi dele a assistência para o 2-0, numa partida em que se esforçou e em que deu tudo pela sua equipa.
Álvaro Pereira: O "palito" fez aquilo a que nos tem habituado. vaivéns constantes entre a defesa e o ataque, com várias arrancadas perigosas.

domingo, 22 de janeiro de 2012

As estrelas do CAN

O Campeonato Africano das Nações iniciou-se no dia 21 de janeiro de 2012, com o jogo de abertura a colocar frente-a-frente a Guiné Equatorial e a Líbia. A edição da CAN 2012, suscitou desde logo várias críticas, pelas mais diversas razões. O facto de algumas seleções de grande relevo não estarem presentes, como é o caso dos Camarões, da Nigéria e do Egipto, foi uma das razões. Além do mais, consequentemente, vários jogadores não poderão demonstrar o que valem, como são os casos de Samuel Eto’o (Anzhi/Camarões), Carlos Idrissi Kameni (Espanyol/Camarões), Abou-Trika (Al-Ahly/Egipto), Odemwingie (Newcastle/Nigéria) ou Obodo (Lokomovit de Moscovo/Nigéria) . O Campeonato Africano das Nações, e há margem do que se sucede constantemente, terá vários “portugueses” em exibição, como os treinadores Lito Vidigal (Angola) e Paulo Duarte (Burkina Faso). Djalma, Djamal, Balboa, Mateus e N’Diaye representam Portugal na função de jogadores.

As equipas que integram o lote:
Guiné-Equatorial (Grupo A): A equipa que recebe estas edição do CAN (a par do Gabão), é, tecnicamente, a seleção mais fraca da competição. No entanto, poderá galvanizar-se por jogar em casa, apoiando-se nos seus fervorosos adeptos. A estrela da seleção é o atacante do Deportivo da Corunha, Rodolfo Bodipo.
Líbia (Grupo A): A esperança é a última a morrer, mas… A verdade é que os líbios, embora tenham experiência internacional, não têm grandes esperanças em chegar longe. Numa equipa tecnicamente limitada, a passagem aos “quartos” já é suficientemente boa, numa seleção em que a estrela principal é o bracarense Djamal.
Zâmbia (Grupo A): Após as boas exibições rubricadas à dois anos, a seleção da Zâmbia acredita que pode atingir os quartos-de-final. Os irmãos Katongo são, porventura, os jogadores mais sonantes.
Senegal (Grupo A): O Senegal ainda está a tentar obter a sua primeira CAN que poderá chegar este ano. A expetativa à volta da seleção senegalesa é grande, mercê da qualidade individual da equipa, principalmente no ataque. O Senegal é forte em todas as posições, contando com elementos como Demba Ba (Newcastle), Moussa Sow (Lille) ou Diawara (Marselha). O título é o único objetivo.
Costa do Marfim (Grupo B): A grande favorita a levar o “caneco” para casa. Apoiada num sistema seguro e forte, a Costa do Marfim tem, possivelmente, a melhor equipa de sempre do seu país. Com um ataque demolidor , com Drogba e Doubia como cabeças-de-cartaz, e um meio-campo onde Yaya Touré é a estrela, uma não vitória final,será, inevitavelmente, um insucesso.
Burkina Faso (Grupo B): A equipa comandada por Paulo Duarte tentará a todo o custo rumar aos “quartos” da CAN. Em princípio a seleção africana irá lutar com a Angola pela passagem à fase seguinte da prova, mas as surpresas acontecem. A estrela é, há muito tempo, Pitroipa, o “Cristiano Ronaldo da Burkina Faso”, mas há outros jogadores que também podem surpreender.
Angola (Grupo B): A turma de Lito Vidigal aposta em surpreender nesta CAN. Com uma equipa razoável, os “Palancas Negras” tentarão chegar o mais longe possível. Apoiados no lema “o céu é o limite”, Angola deposita no portista, Djalma, as maiores esperanças para tentar realizar um bom CAN.
Sudão (Grupo B): O Sudão apresenta-se como o “patinho feio” do grupo, mas a história fala por este país. A verdade é que o Sudão já venceu o CAN por uma ocasião, no longínquo ano de 1970. Teoricamente uma das piores equipas em competição, esta seleção não tem nenhum jogador de relevo.
Gabão (Grupo C): Uma das seleções organizadoras do evento, o Gabão tem como objetivos mínimos alcançar os “quartos”. Num grupo em que encaixa, teoricamente, como terceiro cabeça de série, o Gabão tem como principal arma o experiente dianteiro do Sapins, Daniel Cousin.
Niger (Grupo C): O Niger é definitivamente a pior equipa deste grupo. Sem grandes destaques, o Niger segue o tónico “a união faz a força”. Uma seleção que vai precisar de sorte se quer fazer algo de importante nesta prova.
Marrocos (Grupo C): A equipa favorita a vencer o Grupo C e uma das candidatas a vencer o CAN. Campeões em 1976, os marroquinos querem agora reeditar o feito, com Marouane Chamakh, do Arsenal, a ser o alvo principal das atenções.
Tunísia (Grupo C): Embora não tenha a mesma qualidade dos Marrocos, a Tunísia também sabe jogar bom futebol. Com vários jogadores experientes a jogar na Europa, os tunisinos quererão obter, no mínimo, a qualificação para os quartos-de-final, ficando depois à espreita. Jemâa, do Auxerre, é uma das estrelas.
Gana (Grupo D): O Gana tem no registo quatro Campeonatos Africanos das nações, porém não ganha nenhum há 30 anos. Uma das seleções mais fortes da competição, o Gana apoia-se numa equipa acima da média. Os irmão Ayew e Asamoah Gyan são jogadores a ter em conta.
Mali (Grupo D): A equipa do vimaranense, N’Diaye, é, a par do Gana, a principal favorita, do grupo D, a rumar aos “quartos” da prova. Com uma seleção muito forte, Alain Giresse pode contar com o “blaugrana” Seydou Keita, que promete ser uma das referências do CAN 2012.
Botswana (Grupo D): O Botswana não é um país que tenha história no futebol. Com pequenas, ou nulas, aspirações em chegar aos quartos-de-final, o Botswana já ficarias contente de pontuasse nesta prova. Esta seleção prima por ser uma seleção sem estrelas e sem prodígios individuais.
Guiné (Grupo D): A única equipa, no grupo D, que poderá fazer frente ao Mali e ao Gana. Com uma equipa experiente, a possibilidade de atingir a fase seguinte do CAN não está posta de parte.

Jogadores a ter em conta:
André e Jordan Ayew: André Ayew é um extremo rapidíssimo, com dotes individuais fantásticos e uma das referências do Gana. Jordan Ayew, tal como o seu irmão, representa o Marselha. Em bora não seja tão evoluído tecnicamente como André, também tem pinta de craque.
Moussa Sow: O senegalês é um dos destaques da sua seleção. Dianteiro de grande nível, Sow, atualmente no Lille, espera agora granjear algum sucesso internacional. Fez recentemente 26 anos.
Demba Ba: O avançado do Newcastle de 26 anos é um dos jogadores em foco desta edição da Premier League. Depois do sucesso nos “magpies”, tenta agora dar uma ajuda ao Senegal e, porque não, ganhar o CAN.
Chermiti: O atacante do Zurique poderá ser um dos destaques da Tunísia. Bons pormenores técnicos e promessas de golos. Tem 24 anos e é indiscutível no seu clube, o Zurique.
Benatia: Defesa com grande reputação nos Marrocos. Uma das coqueluches da Udinese, promete ajudar a sua seleção a manter a coesão defensiva.
Taarabt: Tecnicamente, é o melhor marroquino. O jogador do Queens Park Rangers será, seguramente, um dos destaques deste CAN.
Darragi: Médio criativo tunisino de grande qualidade, Darragi alia qualidade de passe e técnica avultada. Com 24 anos, já interessou ao Braga.
Bakary Koné: O defesa da Burkina Faso apresenta uma compleição física assinalável. O jogador de 23 nos do Lyon é um dos talentos emergentes da Burkina Faso, e um jogador a seguir.
Opare: O lateral do Gana, atualmente no Standard Liége, é uma das promessas africana. Qualidades defensivas e ofensivas, são os cartões de visita de um grande jogador.
Muntari: O médio ganês do Inter , é um dos melhores, na sua posição, na competição. Remate forte e passe preciso, são os aliados de luxo de um jogador que precisa de mais utilização para evoluir ainda mais.
Mamadou Bah: Médio guineense do Estugarda, Bah, é um dos jogadores em foco da Guiné. Boa qualidade de passe e técnica apurada. Com força suficiente e ainda novo (23 anos), pode crescer muito mais.

Fernando Machado

sábado, 21 de janeiro de 2012

Equpas B: uma opção com dividendos

Depois de tanto tempo, finalmente, em Portugal, voltam a existir equipas B. Estas equipas servem como reservas dos clubes principais, onde os jogadores vinculados ao emblema podem rodar para não estarem tanto tempo sem jogar duma forma oficial e mais exigente. Ao mesmo tempo, e embora os salários que os jogadores na equipa B auferem sejam um ponto a ter em conta , a aposta nesta ideia tem várias valores apetecíveis. Desde logo os clubes não necessitam de emprestar alguns dos seus jogadores que não façam parte dos planos da equipa, podendo rodar, no caso português, na Liga Orangina, uma competição suficientemente exigente para as jovens promessas. Por último recorde-se que as equipas B entrarão em funcionalidade na temporada 2012/13, sendo que FC Porto, Sporting, Benfica, V. Guimarães, Sporting de Braga e Marítimo terão direito a ter as suas equipas de reserva na Liga de Honra portuguesa.

Benfica: Os encarnados são a equipa portuguesa que mais tem apostado na equipa B. As águias têm contratado vários jogadores para alinhar na segunda equipa, enquanto que a equipa técnica também tem sido posta em consideração. Relembre-se que o Benfica é um clube com muita história na formação de talentos, estando obviamente interessado em fazer crescer “putos-maravilha”, que podem ser o futuro dos lisboetas.


Sporting: Os leões são incondicionalmente uma potência no que à formação de jogadores diz respeito. Cristiano Ronaldo e Luís Figo são os expoentes máximos duma academia que quer voltar a rugir.
FC Porto: Os portistas são a equipa que, nas camadas jovens lusas, mais sucesso tem tido nos últimos anos. Os dragões tentarão agora manter a marcha de sucesso, mas com equipa B.

Fernando Machado

Lendas e Glórias: Dennis Bergkamp

Dennis Bergkamp foi um jogador magistral, sabia fazer tudo: marcar golos em abundância, fazer passes extraordinários para os seus colegas, fintar com qualidade e classe, rematar com qualquer pé sem que isso fosse algo contra si e cabecear de forma oportuna. O gigante holandês sabia fazer tudo, excepto uma coisa: não sabia voar. Literalmente, Bergkamp, deixou de se deslocar de avião quando, numa viagem da seleção holandesa, falou-se que havia bombas a bordo. Mentira pois claro, mas o suficiente para fazer com que Bergkamp deixá-se de voar, perdendo vários desafios da seleção do seu país.

Começou a carreira na profícua cantera do Ajax, onde deu umas pinceladas de classe, tendo estado durante 7 anos no emblema de Amesterdão. O projeto seguinte de Dennis seria estar incluído numa equipa de maior gabarito no Mundo do futebol. O dianteiro escolheu assim o Inter de Milão para prosseguir uma carreira que se esperava de luxo. No entanto a sua estada nos neroazurri apenas se prolongou por dois anos. A verdade é que Bergkamp, tal como a sua equipa, falhou redondamente, não conseguindo ter feito aquilo que o levou para Itália: ganhar títulos. Foi porém em boa hora que saiu do Inter, rumando a uma equipa que acreditou nele e, principalmente, um treinador que acreditou nele. Falamos do Arsenal, e do responsável técnico do mesmo clube, Arséne Wenger. Nos “gunners”, Bergkamp foi capaz de mostrar porque razão deveria estar na elite do desporto-rei. Essencialmente, o internacional pelo “país das tulipas”, marcou golos com fartura e deslumbrou o Emirates com toda a sua cultura de jogo. No fundo, Dennis Bergkamp foi daqueles jogadores que se sacrificava em prol do coletivo, chamava a si as atenções quando assim era necessário e defendia a sua equipa quando podia.

Nota Final: 17/20

Craques de Amanhã: Bruno Uvini

Bruno Uvini, já comparado a David Luiz, joga de cabeça levantada, tranquilamente, quase como quem não quer a coisa, de forma inteligente (muito preciso no posicionamento), não dando uma bola por perdida e apresentando-se sempre com os níveis de atenção ao máximo. O central do São Paulo salienta-se pelo facto de ser muitíssimo completo e, apesar de não impressionar de forma clamorosa em nenhum aspeto, com apenas 20 anos, é já um jogador de "barba rija".

Um dos melhores jogadores do passado Mundial de sub-21, tem vindo a ver a sua progressão retardada muito devido às lesões graves de que já foi vítima. No entanto, a sua agressividade, a sua compleição física (1,87 m e 85 kg), o seu bom jogo aéreo, a sua velocidade e a sua razoável qualidade técnica não passam despercebidas e dão-lhe o estatuto de uma das maiores esperanças brasileiras.

Nota Final: 15/20

Levski quer Bojinov

O rumo de Bojinov parece estar traçado, depois do processo instaurado sobre o mesmo: a saída de Alvalade. E o seu futuro até poderá passar pelo seu país de origem, a Bulgária, já que o Levski parece estar interessado no avançado ex-Parma.

"Se o treinador o quiser e no caso de ele estar interessado em jogar pelo Levski, estou disposto a pagar", disse Todor Batkov, dono do emblema de Sófia, em declarações ao jornal "Standart". "Gosto do Bojinov e tentámos o empréstimo há dois anos, quando ele jogava no Manchester City", acrescentou ainda.

O jogador de 25 anos custou mais de 2 milhões de euros e ainda não mostrou o porquê de ter sido contratado. O incidente com Matías Fernández só veio agravar a sua situação no Sporting, podendo custar a saída do clube verde e branco.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Aimar, Cardozo e Garay sem limitações

Os benfiquistas Pablo Aimar, Cardozo e Ezequiel Garay treinaram-se hoje sem limitações, prevendo-se o seu regresso para breve. Assim, Jorge Jesus vê alargado o seu leque de hipóteses para o confronto com o Gil Vicente.

Ausente do treino esteve o avançado espanhol Rodrigo, que se encontra a efetuar trabalho de ginásio. Também Enzo Pérez e Ruben Amorim, ambos sob alçada disciplinar, pelas razões já conhecidas, não se poderam apresentar-se ao trabalho no Seixal.

Bojinov proibido de frequentar instalações do clube

Após ter impedido Matías Fernández de bater o penálti nos minutos finais do confronto com o Moreirense (que poderia ter dado a vitória aos leões), acabando por falhar o castigo máximo, Bojinov está agora suspenso e proibido de frequentar a Academia de Alcohete e o Estádio de Alvalade. Segundo o comunicado da SAD verde e branca, o estado do avançado manter-se-à até que o processo disciplinar, já instaurado sobre o búlgaro, termine.

Leia o comunicado:
"Na sequência dos acontecimentos ocorridos no jogo Sporting – Moreirense, a contar para a 2.ª jornada da 3.ª fase da Taça da Liga, o Conselho de Administração deliberou instaurar um processo disciplinar para apuramento de responsabilidades ao jogador Valeri Bojinov.

Até conclusão do mesmo, o jogador Valeri Bozhinov está suspenso preventivamente de toda a atividade e impedido de frequentar as instalações da Sociedade, quer na Academia de Alcochete, quer no Estádio José Alvalade."

Nas ruas da amargura

Sporting 1-1 Moreirense
O jogo parecia perfeito para Domingos Paciência reatar a paz com os adeptos, mas por vezes o que é fácil torna-se difícil. A primeira parte foi pouco interessante, com alguns remates mas sem grande perigo. De qualquer forma o Sporting adiantou-se no marcador por volta dos 28 minutos. A defesa do Moreirense não consegue afastar a bola suficientemente bem, e Diego Capel consegue fazer o 1-0. Porém, e inesperadamente, a turma de Moreira de Cónegos alcança o empate, com um pontapé acrobático de Ghilas, aos 35 minutos.

O segundo tempo trouxe uns leoninos mais afoitos no ataque, com Capel sempre a tentar levar a equipa para a frente. No entanto, e devido ao guardião do Moreirense, a equipa de Domingos foi incapaz de se colocar em vantagem. Já em cima do apito final é assinalada uma grande penalidade contra os forasteiros. Na marcação do castigo máximo (e após desentendimento entre Matías e Bojinov sobre qual dos dois marcaria), o búlgaro não conseguiu desfeitar o guarda-redes do Moreirense.

MVP - Ricardo Ribeiro: O principal responsável pelo empate da sua equipa. Uma exibição absolutamente fantástica do keeper do Moreirense. Um punhado de boas defesas, e um pénalti defendido pelo próprio, foram os momentos em que o jovem de 21 anos mais brilhou.
Diego Capel: Foi o jogador mais esclarecido dos leões. Arrancadas muito perigosas para o quarteto defensivo do Moreirense, e um golo à matador.
Ribas e Bojinov: Seba Ribas foi o eleito por Domingos Paciência para ser titular. Porém, a exibição do atacante emprestado pelo Génova deixou muito a desejar. Quanto a Bojinov, a exibição ficou marcada, e bem marcada, pela grande penalidade que, primeiramente não deixou marcar a Matías, e depois ainda a falhou. Domingos tem uma grande dor de cabeça enquanto Wolsfwinkel estiver inapto para a competição.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Diferenças de mentalidade

O "clássico" de Santiago Bernabéu ficou marcado, para além da vitória do Barcelona, pela agressividade excessiva de jogadores como Pepe ou Fábio Coentrão. Para mim, foi apenas mais uma demonstração da diferença de mentalidades: da catalã e da madrilena.

José Mourinho foi o ponto de viragem nas atitudes do Real Madrid, não desprezando o seu (excelente) trabalho ao leme dos "merengues". O português chegou à capital espanhola com o estatuto de eliminador do Barcelona (havia derrotado o emblema "blaugrana" no decorrer da Liga dos Campeões 2009/10) e a imprensa apenas teve que fomentar esse ódio, bem presente nas conferências de imprensa de "El Especial". A verdade é que as atitudes violentas e vergonhosas dos atletas madrilistas nos confrontos com os "culés" se vão multiplicando, tal como as derrotas e os títulos perdidos perante os seus principais rivais.

Por outro lado, a turma de Guardiola vai demonstrando classe, qualidade e humildade dentro e fora do campo, recolhendo a maior parte dos títulos em Espanha e no resto do mundo. O Barcelona é, tal como o lema do próprio clube indica, é "mais que um clube", forma, além de grandes jogadores (continuamos a referir que Messi é, claramente, o melhor do mundo), grandes pessoas, bem parente em Guardiola, Xavi, Iniesta ou Messi. Uma cultura diferente, assente no "tiki-taka", dentro das quatro linhas, mas também na humildade.

Francisco Cunha

Reatar a paz com os adeptos

Sporting vs. Moreirense (20.15 - Sport TV)
O Sporting entrará no jogo de logo à noite sobre brasas, devido às recentes más exibições e péssimos resultados. O técnico principal dos leões, Domingos Paciência, sabe o que fazer "Todas as provas têm de ter relevância para o Sporting. Em junho quando me contactaram, o que me disserem é que este era um ano de mudança. Fazendo contas ao passado do clube, os números falam por si. Quando venho é no sentido de mudança e não de obrigação e exigência de ganhar. Mas estou aqui com orgulho e motivação e para fazer com que o Sporting vença", referiu, na conferência de imprensa de antevisão do encontro ante o Moreirense.

O clube de Lisboa entra de facto com obrigação acrescida de vencer contra o emblema de Moreira de Cónegos. Desde já porque na primeira jornada da Taça da Liga, não foi além de um empate contra o Rio Ave (1-1). Outro dos motivos que obrigam a uma vitória prende-se com os recentes resultados: apenas uma vitória em 6 jogos. Quanto ao onze que Domingos irá utilizar, alguns jogadores poderão ter a oportunidade que tanto têm procurado. Marcelo Boeck na baliza é quase um dado adquirido. O quarteto defensivo poderá ter protagonistas, Onyewu e Polga no centro, e Evaldo e Pereirinha nas alas laterais. O centro do terreno deverá ser constituído por Matías Fernández, Schaars e ainda André Martins. Por fim o trio de ataque deverá ficar a cargo de Ribas, Carrillo e talvez Capel. Prognósticos?

Tragédia Real

Real Madrid 1-2 Barcelona
Ainda não foi desta que José Mourinho descobriu a fórmula para deter o Barcelona. Ontem, mais uma derrota, que deixa os "culés" com uma vantagem confortável para a segunda mão, na Catalunha. Ainda os adeptos se estavam a acomodar ao ambiente escaldante do Santiago Bérnabeu e Cristiano Ronaldo já marcava. Minuto 11, contra-ataque do Real e Cristiano ultrapassou Dani Alves e rematou forte, por entre as pernas de Pinto. Aos 17 minutos, a primeira contrariedade para Mourinho. Pepe tem uma entrada mais ríspida sobre Busquets e o árbitro, Teixeira Vitienes, não hesitou na amostragem da cartolina amarela. Até ao fim da primeira parte e embora os "merengues" não tenham ameaçado as redes catalãs, o Barça também não conseguiu chegar com muito perigo à baliza de Iker Casillas. De resto, apenas Alexis (está em grande forma), com um cabeceamento a embater no poste, e Iniesta, com um remate para fora, ameaçaram o guardião dos madridenos.

A segunda parte foi muito diferente, com os "blaugrana", inspirados em Messi, a serem mais criativos que os rivais. Logo no reatamento da partida, aos 49 minutos, canto cobrado por Xavi e Puyol, a fugir à marcação de Pepe, a empatar a partida. Apenas aos 58 minutos é que o Real conseguiu voltar a ameaçar, desta feita por Benzema, com um cabeceamneto em cheio no poste. Por esta altura o duelo estava indeciso, com cada equipa a demonstrar ter predicados para poder discutir o jogo. Mas, e porque há sempre um mas, o Barcelona concretizou a reviravolta. Messi fez um passe fantástico (meio-golo), e Abidal faturou, fazendo o 2-1, com um golo à ponta-de-lança. Resultado que premeia o esforço individual e coletivo dos "culé", que nunca arredaram pé e que obtêm uma vitória justa e que complica a vida a José Mourinho na Taça do Rei.

Já falta pouco

FC Porto 1-0 Estoril
Um jogo sem brilho e uma exibição cinzenta por parte do FC Porto bastou para adquirir mais três pontos, e, consequentemente, a passagem para as meias-finais da Taça da Liga está mais perto de ser carimbada. Como atrás foi referido, o jogo foi deprimente, com poucas jogadas de relevo e com remates, quando efetuados, sem grande perigo. O duelo nunca se alterou durante os 90 minutos, dragões a atacar e lisboetas a defender o melhor possível. Porém, aos 65 minutos, Silvestre Varela, após um bom trabalho individual, coloca os da casa em vantagem, vantagem essa que não seria comprometida e que coloca o FC Porto na liderança do seu grupo, com 6 pontos, mais 3 que o segundo (Paços de Ferreira) e o terceiro (V. Setúbal).

MVP- Silvestre Varela: Varela não tem sido escolha constante de Vítor Pereira, mas ontem mostrou que poderá dar muito aos portistas. Algumas jogadas de grande qualidade e um golo para premiar a insistência do português.
Álvaro Pereira: O uruguaio manteve o estilo de jogo a que nos habituou, boas jogadas e a assistência para o golo de Varela.

A diferença de Witsel e Nolito

Benfica 2-0 Santa Clara
A formação encarnada recebeu e venceu um Santa Clara muito incómodo e que, com os predicados de alguns dos seus atletas, até conseguiu causar algum embaraço nos atuais detentores da Taça da Liga. No entanto, a qualidade benfiquista veio ao de cima e a vitória acabou por ser atingida facilmente.

Com Eduardo, André Almeida, Miguel Vítor, Jardel, Capdevila, Matic, Gaitán, Saviola e Nelson Oliveira de início, a primeira parte foi um tanto cinzenta, não se registando lances de perigo de parte a parte. Na etapa complementar tudo mudou. Witsel entrou ao intervalo e mexeu com o fluído de jogo benfiquista. Mais tarde, o recém-entrado Nolito deu em Nelson Oliveira que, com um golpe certeiro, fez o seu primeiro golo na equipa A encarnada. Aos 75 minutos, Nolito voltou a assistir, mas desta feita foi Witsel a meter a bola dentro da baliza, com um remate fantástico.

MVP - Nolito: Cerca de meia hora em campo, duas assistências e uma exibição para depois recordar do extremo espanhol do Benfica.
Witsel: A diferença entre o belga e Matic é substancial. Na falta de Aimar, foi ele o principal organizador de jogo dos encarnados.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Craques de Amanhã: James Rodríguez

James Rodríguez é um autêntico prodígio de técnica, acrescentando ainda velocidade, imprevisibilidade e agilidade ao seu reportório de predicados. Comparado ao compatriota Valderrama, o canhoto apresenta grande qualidade, apaixonando, salvo seja, pela garra e classe com que se entrega ao jogo

O extremo colombiano de apenas 20 anos, formado no modesto Envigado do seu país natal, rumou novo aos argentinos do Banfield e daí mudou-se para o FC Porto (onde já ganhou um campeonato nacional e uma Liga Europa), onde vai brilhando e espalhando classe pelos relvados portugueses. E o seu talento não para aí: já se fala no interesse de clubes como o Inter, Juventus, Udinese ou Chelsea. Nem todos conseguem conquistar os adeptos azuis e brancos tão rapidamente...

Nota Final: 17/20

"Clássico" na Taça do Rei

Real Madrid vs. Barcelona (21.00 - Sport TV)
Hoje, Real Madrid e Barcelona voltam-se a juntar no Santiago Bernabéu, desta vez para disputar a primeira mão dos quartos-de-final da Taça do Rei.

O Real Madrid de José Mourinho defende o título (no ano passado, venceu a competição, precisamente perante o emblema "blaugrana") e joga em casa, mas espera-se uma boa réplica do arqui-rival Barcelona. Apesar da convocatória de Ricardo Carvalho, Pepe e Fábio Coentrão, Cristiano Ronaldo deverá ser, mais uma vez, o português em foco, voltando aos já habituais duelos com Messi, em busca do título de melhor futebolista do mundo.

Lendas e Glórias: Giacinto Facchetti

Ao longo da prodigiosa história, existiram grandes capitães, nenhum deles como Giacinto Facchetti. Em 1960, com apenas 18 anos, rumou ao seu clube de sempre, o Inter de Milão. A adaptação do lateral ao clube de Milão não foi muito fácil, tendo durante o primeiro ano, sentido bastantes dificuldades. Porém Il Capitano, como foi apelidado devido à forma inigualável de conduzir as suas equipas ás vitórias, consegiu superá-las, com muita humildade e esforço. A glória do italiano começou a escrever-se na temporada de 1962/63, ano em que, pelos neroazurri, obtém o primeiro título "a sério", a Liga Italiana. Aliás, "O grande capitão", venceu quatro Scudetto, em 1964/65, 1965/66 e 1970/71. Porém o que tornou Facchetti herói foram as duas Ligas dos Campeões que venceu. Em 1964 e 1965 o Inter foi o rei da Europa, devido ás Champions que nesses anos se celebraram, muito devido à mestria de Giacinto. De resto, o defesa-esquerdo ainda haveria de vencer duas Taças Intercontinentais e uma Taça de Itália.

Facchetti, embora lateral-esquerdo (jogaria a central e a líbero já no fim da carreira), era um jogador que apontava alguns golos, quase 100, durante a sua enigmática carreira. Discreto mas eficaz na marcação e no desarme, il cipe dava tudo po um lance, como se fosse o último da sua vida. Como reconhecimento, a France Football colocou em segundo lugar na Bola de Ouro de 1965, apenas superado pelo português Eusébio. Além do mais, Giacinto, foi considerado o 16º melhor jogador do século passado, superando estrelas como Maldini ou Ruud Gullit. Como reconhecimento do Inter (o seu clube de sempre), tornou-se presidente honorário do clube, até à data da sua morte, em 2006.

Nota Final: 18/20

Será desta?

FC Porto vs. Estoril (20.45 - SIC)
A questão que se impõe prende-se com o facto do FC Porto ainda não ter vencido a Taça da Liga. Na conferência de antevisão do encontro de mais logo à noite, Vítor Pereira reiterou a confiança que sente com os seus jogadores "O FC Porto é forte como equipa, tem qualidade. Hulk acrescenta qualidade individual. O treinador do Estoril certamente que não quis dizer que o FC Porto não era equipa forte sem Hulk. Valemos pelo que representamos em termos coletivos", mas referiu também que o jogo não será fácil, "O Estoril joga bom futebol e reflecte a qualidade que existe na segunda liga, é disso um exemplo bem conseguido. O jogo vai ser tudo menos fácil. É uma equipa que vale pelo coletivo. Vão na frente do campeonato com todo o mérito", disse. O onze portista deverá sofrer várias alterações em relação à equipa que alinhou para a Liga contra o Rio Ave. Bracalli na baliza será a aposta, com o quarteto defensivo com poucos retoques. O meio-campo e ataque, devido ao número elevado de jogadores aí posicionados, poderá ser o ponto forte dos azuis e brancos.

Adicionar mais três pontos

Benfica vs. Santa Clara (20.15 - Sport TV)
Num jogo com claro favoritismo para os da casa, cabe ao Santa Clara esforçar-se ao máximo para tentar anular o Benfica. O técnico insular, Bruno Moura, dá o mote "Não é impossível. O momento é muito difícil porque vêm de três jogos consecutivos, desde que iniciaram o ano, sempre com 'chapa' quatro. Temos de ser muito competentes e ajuizados e claramente aproveitar o momento, porque é fundamental fazê-lo de uma forma concentrada, organizada e perspetivando o jogo de forma coletiva e não individual", vicou. Quanto a Jorge Jesus, optou por um estilo mais cauteloso, mas ambicioso  O que poderá fazer diferença é a nossa qualidade de jogo. O jogo com Santa Clara é de responsabilidade, pois vencemos três anos a competição e queremos defender este título", referiu na conferência de imprensa de antevisão do encontro de hoje à noite. Nos encarnados Aimar e Garay, provavelmente, não sairão do banco se suplentes, enquanto que Cardozo, suspenso, não entra na convocatória. De resto, Nélson Oliveira será o português utilizado por JJ, já que uma das  restrições da Taça da Liga é a obrigação de utilizar um jogador luso no plantel.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Lendas e Glórias: Ronaldo

Ronaldo Luís Nazário de Lima, nascido no Rio de Janeiro a 22 de setembro de 1976, terá sido o melhor futebolista brasileiro depois de Pelé.

Melhor jogador do mundo pela FIFA por 3 ocasiões, Bola de Ouro por duas e duas vezes campeão mundial (1994 e 2002), o "Fenómeno", alcunha ganha após a magnífica época ao serviço do Barcelona, era rápido, possante, tecnicamente evoluído e de grande inteligência tática, bem patente nas suas desmarcações.

Ao longo da sua carreira, debutou pelo Cruzeiro, PSV, Barcelona, Inter, Real Madrid, Milan e Corinthians, mas foi no clube "blaugrana" que, com 20 anos, se exibiu a todo o seu esplendor. Já no Inter, começou-se a desenvolver um tormento que o acompanharia até ao fim da sua carreira: as lesões graves. O Mundial de 2002 voltou a exibir o melhor Ronaldo, que ajudou a seleção brasileira a atingir o título de campeão mundial. O Real Madrid não perdeu tempo e, com um investimento de 39 milhões de euros, acrescentou mais um "galático" à sua constelação de estrelas, onde, diga-se de passagem, não teve grande sucesso. Apesar de ter envergado grandes emblemas, nunca teve a felicidade de levantar um troféu da Liga dos Campeões. É uma espinha cravada no coração de um jogador que, só não chegou mais longe, devidos às lesões que tanto o atormentaram.

Nota Final: 19/20

Hulk pode falhar Guimarães

Depois de inicialmente se ter pensado que a lesão contraída por Hulk no confronto com o Rio Ave era pouco preocupante, sabe-se agora que a distensão na coxa esquerda (e não uma mialgia, como se traçou no primeiro diagnóstico)  poderá impedir o "Incrível" de jogar contra o Vitória de Guimarães.

Sendo assim, é já certo que o dianteiro "canarinho" falhará a receção ao Estoril na quarta-feira, a contar para a Taça da Liga. Além de Hulk, também Fredy Guarín e Emídio Rafael se encontram fora das opções de Vítor Pereira.

Craques de Amanhã: Djaniny

Djaniny jogará pelo Benfica B na próxima época, mas, por enquanto, vai demonstrando valor na União de Leiria. Em 2009, o avançado cabo-verdiano chegou a Portugal para debutar pelos açorianos do Velense. Teve sucesso (marcou 50 golos nas duas épocas em que jogou nos Açores) e rumou para os leirienses. Com apenas 20 anos, é já a estrela-maior do clube da cidade do Lis.

Rápido, possante e de remate fácil, Djaniny é um jogador completo, apesar de ainda ter de limar o aspeto técnicos. Admitimos que nunca deverá atingir níveis de produção muito elevados (muito pela sua fraca qualidade técnica), porém no seu jogo fica bem patente que ali há qualidade. No entanto, só com apostas recorrentes poderá evoluir e, felizmente, parece que tem tido essa sorte.

Nota Final: 14/20

Derby favorável ao Inter

AC Milan 0-1 Inter de Milão
O jogo grande da 18ª jornada da Serie A italiana terminou favorável aos forasteiros, que contra o seu maior rival venceram por 1-0. Com o estádio que serve de sede aos dois clubes de Milão, foi o AC Milan a primeira equipa a alvejar a baliza de qualquer guarda-redes. O jogo manteve-se neste tónico, os rossoneri atacam mas sem resultados práticos, com os visitantes a colocarem em jogo a técnica de contenção italiana, o catenaccio. A etapa complementar acabou por seguir as mesmas ideias, porém, aos 54 minutos, Diego Milito isola-se e consegue bater Abbiati, que pouco podia fazer. Este golo foi apenas mais uma razão para a turma de Massimiliano Allegri atacar ainda mais, com uma formação mais ofensiva do que o rival, o Milan não foi capaz de marcar, perdendo o primeiro lugar da Liga Italiana, para a Juventus.

Noutros jogos, nota primordial para o empate caseiro da Juventus perante o Cagliari (1-1). Para a "Vecchia Signora", foi o montenegrino, Mirko Vucinic o autor do golo, mas Cossu teve outras ideias e na 2ª parte repôs o empate.

Barça continua na perseguição

Barcelona 4-2 Bétis
O jogo não se adivinhava muito fácil, mas também não se aguardava uma exibição tão bem conseguida por parte do Bétis. 

Os primeiros 10 minutos de jogo foram muito interessantes, com os forasteiros a darem um ar da sua graça, fazendo tremer a defesa "blaugrana". No entanto a eficácia dos visitados ficou bem patente aos 12 minutos, Aléxis Sánchez faz um passe a rasgar a defensiva do Bétis, Fábregas recebe o passe, isola-se e remata ao poste, na recarga Xavi aponta o primeiro golo da noite. Tudo ficou mais fácil quando, aos 14 minutos, a turma de Guardiola aumenta a vantagem para dois golos, desta feita foi Messi, de novo com Aléxis na jogada. Porém os Andaluzes não desistiram, com Ruben Castro, aos 32 minutos, a reduzir a desvantagem. Aos 52 minutos, Santa Cruz, acabado de entrar, empata o jogo. O descalabro dos visitantes começou aos 70 minutos, o defesa mário é expulso e facilita a vida aos "culé". Os golos restantes foram apontados por Aléxis e Messi (de penálti).

Sporting dificulta título

Braga 2-1 Sporting
Em pleno Axa, os leões foram derrotados pelos bracarenses e desceram para a 4ª posição da classificação, dificultando em muito a luta pelo título. Por sua vez, os minhotos podem celebrar a ascensão ao pódio da Liga, após uma vitória num jogo muito emotivo.

O Braga entrou mais forte no jogo. Mossoró e Hugo Viana estiveram muito perto de marcar para os visitados, mas o Sporting ripostou e chegou-se à frente com perigo. Depois, Insúa obrigou Quim a esforçar-se para defender um potente cabeceamento do próprio argentino. Matías rematou, pouco tempo depois, ao poste. Ao intervalo, registava-se um nulo.

Ao abrir do segundo tempo, Hélder Barbosa aproveitou uma falha coletiva da defensiva leonina e inaugurou o marcador. À passagem do minuto 63, Lima fez o segundo, novamente aproveitado um erro grosseiro da retaguarda verde e branca. Carrillo ainda reduziu, mas a inspiração sportinguista parou aí. Em suma, um resultado justo, tendo em conta o domínio tático da turma de Leonardo Jardim.

MVP - Hélder Barbosa: Abriu o marcador, desequilibrou na frente de ataque bracarense e ainda teve tempo para demonstrar que poderia ser uma peça chave no emblema minhoto.
Hugo Viana e Mossoró: Os dois principais criativos do Braga exibiram-se a grande nível. Grandes passes a rasgar por parte do português e belas arrancados por parte do brasileiro.
Carrillo: Muito veloz, impressionou pela positiva, faturando por mais uma ocasião.
Ribas: O avançado ex-Génova foi destaque pela negativa. Muito "trapalhão", não teve discernimento para efetuar uma boa exibição. O Sporting precisa de encontrar outra solução mais viável.

domingo, 15 de janeiro de 2012

James resolveu

FC Porto 2-0 Rio Ave
No Dragão, o FC Porto bateu o recorde de Bobby Robson com o 54º jogo consecutivo sem perder no campeonato.

Os dragões nunca conseguiram "pegar" totalmente no jogo, mesmo assim, a superior inspiração dos visitados acabou por resolver a partida. Numa primeira parte muito pobre, Hulk saiu lesionado com uma mialgia na coxa esquerda, algo que não impedirá o "Incrível" de dar o seu contributo à equipa nas próximas partidas. Já a fechar o primeiro tempo, James Rodríguez abriu o ativo, concluindo uma bela jogada individual protagonizada por si.

Já nos segundos 45 minutos, Yazalde falhou na cara de Helton, desperdiçando a melhor oportunidade da partida. O 2-0 acabou por chegar, novamente por mérito de James, que bisou, depois de uma outra investida do próprio. Rolando acabou expulso já nos últimos minutos, travando João Tomás quando este se encontrava isolado.

MVP - James: Marcou mais dois golos e já leva 7 no campeonato. Na ausência de Hulk, foi ele o "Incrível" da turma de Vítor Pereira. Grande exibição do extremo colombiano que continua a mostrar classe para mais do que a Liga portuguesa.
Alvaro Pereira: Foi dono e senhor da ala esquerda. Incutiu velocidade no jogo dos dragões, protagonizando bons lances individuais.
Belluschi: Voltou-se a exibir a um nível reduzido. Somou diversos erros infantis.
Kelvin: O extremo brasileiro do Rio Ave, cedido pelo FC Porto, efetuou uma exibição fantástico. Rápido, tecnicista e criativo, promete chegar longe.

Benfica diabólico

Benfica 4-1 Vit. Setúbal
Na receção aos sadinos, o Benfica brilhou, traduzindo esse domínio numa vitória fácil. Com este resultado, a turma de Jorge Jesus pode festejar a liderança isolada no fim da primeira volta do campeonato.

Apesar do domínio encarnado, os forasteiros marcaram primeiro. À entrada da área dos lisboetas, Neca rematou e, após um desvio infeliz nas costas de Luisão, a bola acabou por balançar nas redes da baliza benfiquista. O Benfica não tremeu, reagiu e, aos 24 minutos, Witsel deu em Nolito que, com um belo remate, fez o empate. Passados 8 minutos, Cardozo colocou a justiça no jogo, disparando para golo, sem hipóteses para Diego. Já nos descontos do primeiro tempo, o avançado paraguaio bisou, respondendo a uma grande jogada individual de Rodrigo com mais um tento.

A etapa complementar serviu apenas para acentuar ainda mais o domínio da equipa da Luz. Aos 72 minutos, o sérvio Matic, que desfrutou da ausência de Javi García para chegar à titularidade, fechou o resultado com um cabeceamento, após um cruzamento fantástico do recém-entrado Gaitán. Cardozo até viria a ser expulso: o Tacuara simulou uma grande penalidade e o árbitro Hélder Malheiro mostrou-lhe o segundo amarelo.  Em suma, uma vitória justa dos encarnados, apesar da boa resposta sadina na primeira metade da partida.

MVP - Rodrigo: O jovem ponta-de-lança espanhol mostrou imensa qualidade. As suas arrancadas foram sempre aterradoras para a defesa sadina, que raramente conseguiu conter a criatividade do atacante encarnado.
Cardozo: O paraguaio foi expulso, mas os seus dois golos, novamente decisivos, merecem um destaque mais acentuado. O Tacuara anda de "pé quente"...
Witsel: Na ausência de Aimar, foi pedido ao médio belga que subisse mais no terreno. Incutiu pragmatismo, qualidade técnica e inteligência tática no jogo benfiquista.
Nolito: Voltou a faturar num dia em que esteve especialmente inspirado. Muito rápido, foi um dos melhores em campo.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Craques de Amanhã: Xherdan Shaqiri

Shaqiri nasceu no Kosovo, mas é internacional suíço. É canhoto, mas joga a extremo-direito. Tem apenas 20 anos, porém é a maior estrela do Basileia, seu clube, e da seleção helvética.

Em termos formais, podemos observar que o 17 do "bicolor" é um jogador imprevisível, e o interessante é que isso também se reflete em campo. Pequeno (1,70 m), destaca-se pela força, velocidade e qualidade técnica, combinando o melhor de dois mundos: o futebol alemão com o futebol brasileiro. Pretendido por Man. United, Atl. Madrid e FC Porto, o já campeão suíço (por duas ocasiões) parece estar pronto para rumar para o estrangeiro e tornar-se numa das referências, pelo menos, no panorama europeu.

Nota Final: 17/20

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Mário Figueiredo é o novo presidente da Liga

Mário Figueiredo é o novo presidente da LPFP (Liga Portuguesa de Futebol Profissional), depois de Fernando Gomes ter renunciado ao cargo para passar a dirigir a Federação.

O advogado de 45 anos derrotou Mário Laranjo, recolhendo 27 votos face a 21 do seu adversário direto. Aliás, este sufrágio significou uma vitória a toda a linha da Lista B: André Dinis venceu a eleição para a presidência da Assembleia-Geral, enquanto que Júlio Dinis saiu vitorioso na votação para a Comissão Disciplinar.

Sporting empata com dificuldade

Sporting 2-2 Nacional
Em partida referente à 1ª mão das meias-finais da Taça de Portugal, Sporting e Nacional empataram a duas bolas em Alvalade, com o jogo a ser decidido no... último minuto. Sendo assim, tudo fica adiado para o jogo na Madeira.

O jogo foi mal jogado, com as equipas a tentarem ser organizadas defensivamente e a jogarem muito recuadas. A primeira parte acabou por ser totalmente dominada pelos insulares. Aos 10 minutos, Van Wolfswinkel saiu lesionado, mas o problema física do holandês não parece significar um problema de maior. No contra-ataque, os visitantes conseguiram causar muito perigo junto da baliza de Rui Patrício. Aos 36 minutos, o venezuelano Mario Rondón abriu o ativo, que anteriormente até tinha falhado um "golo feito". À passagem do minuto 45, Polga perdeu a bola em zona proibida e deixou Candeias no frente a frente com o guardião leonino. O extremo luso não teve dificuldades em fazer o 2-0.

A segunda parte foi totalmente diferente. O jogo cresceu em emoção e velocidade. Os visitados apresentaram-se mais fortes, porém, apenas a expulsão de Márcio Madeira (Nacional) permitiu aos leões "sufocar" os insulares. Elias fez o primeiro golo dos sportinguistas ao minuto 75, após um cruzamento preciso de Schaars. Inclusive, foi o médio holandês a decidir a partida. Após ser assinalado livre indireto para o emblema verde e branco, já nos descontos, Schaars rematou para o fundo das redes sem tocar em ninguém. No entanto, o golo não foi anulado e o Sporting pode "festejar" um empate perante o Nacional, algo bastante inesperado.

MVP - Neto: O jovem defesa-central do Nacional acabou por ser o melhor em campo. Muito seguro na defesa, foi um dos responsáveis pelo empate "arrancado a dentes" em Alvalade. Os insulares têm ali um bom substituto de Felipe Lopes.
Bojinov: Substituiu Wolfswinkel e conseguiu impresssionar. Muito rápido, foi uma constante dor de cabeça para a defensiva da turma de Pedro Caixinha.
Polga: Erro "infantil" no segundo golo dos visitantes. Voltou a demonstrar que já não tem qualidade para atuar num candidato ao título.
Candeias: Destaque para o grande golo do extremo formado no FC Porto. Veloz, tecnicista e aguerrido, é um autêntico perigo na ala direita insular.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Melhor onze de 2011 - Avançado: Messi

Recentemente, o internacional alviceleste, Messi venceu a Bola de Ouro pela 3ª vez consecutiva consecutiva, igualando o recorde do francês Michel Platini. Prémio justo, tendo em conta o que "La Pulga", juntamente com os restantes companheiros do Barcelona, venceu (Liga espanhola, Supertaça espanhola, Liga dos Campeões, Supertaça europeia e Mundial de Clubes). A questão é onde é que o criativo argentino parará: nas quatro, cinco, seis ou até sete Bolas de Ouro? Por enquanto, não parece haver ninguém capaz de retirar ao pequeno Leo a hegemonia nos galardões individuais do futebol mundial. Quem é que disse que "rápido e bem não há quem"?

Francisco Cunha

Real segue em frente

Málaga 0-1 Real Madrid
O jogo podia pender para qualquer lado, mas o guardião do Málaga, Caballero, teve outras ideias. Tudo ocorreu aos 72 minutos, jogada de envolvência atacante do Real Madrid, Özil faz um passe para o lado aparecendo Benzema, a rematar torto e fraco. Parecia que o aparecimento do golo teria de esperar, mas não! Caballero, o guarda-redes do Málaga, dá um frango tremendo, após o remate do gaulês, deixando passar a bola por baixo das pernas. O resto do jogo não foi muito mais para além disto, um remate perigoso aqui, outro ali, mas sem muitas oportunidades. Nota final para a exibição do "boquerone" Eliseu. O português realizou uma exibição muito conseguida, com vários remates perigosos. De portugueses jogaram aliás Fábio Coentrão e Pepe, ambos do lado dos "merengues". Mourinho espera assim o jogo entre o Osasuna e o Barcelona, num duelo que irá ditar o adversário do Real Madrid nos quartos-de-final da Taça do Rei.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

As fraquezas dos "tubarões" europeus

Em pleno mercado de janeiro é hora de reajustamentos nos plantéis. Aqui estão os “calcanhares de Aquiles” dos clubes mais prestigiados de toda a Europa...

Real Madrid: No imediato, os “merengues” não têm grandes necessidades de contratações. A equipa de José Mourinho pode no entanto apostar em “putos-maravilha”, ou seja jogadores jovens e com grande margem de progressão. Na baliza há titular indiscutível (Casillas), mas a contratação de outro guarda-redes não é posta de parte. A defesa é coesa e segura, não restando dúvidas aos titulares. No centro do terreno, a segurança também é palavra-chave, não se esperando alterações nesta nevrálgica posição do campo. Por fim o ataque poderia sofrer algumas alterações, os extremos Cristiano Ronaldo e Di Maria não têm concorrência forte (Calléjon não é um substituto credível). A ponta-de-lança, dois avançados de qualidade inegável e que garantem muitos golos (Benzema e Higuaín).

Barcelona: O emblema catalão deverá seguir o tónico do Real Madrid: em caso de contratações só jovens com talento e com margem de progressão. Victor Valdés dá segurança a guarda-redes, mas não tem um jogador que lhe faça frente. Na defesa, a dupla de centrais é perfeita, Dani Alves na direita não dá hipóteses, o problema está na posição de defesa-esquerdo, Abidal ou Adriano têm qualidade, mas se os “culés” contratassem um lateral canhoto de maior qualidade, certamente subiriam de rendimento. O meio-campo é, a nível mundial, o melhor dos últimos anos e o ataque, malfadada a lesão de Villa, não precisaria de ajustes, porém, a lesão do “guaje” leva a que os “blaugrana” tenham de encontrar um substituto à altura.
Man. United: Os campeões ingleses são um clube bastantes necessitados de transferências. Na baliza, De Gea não tem surpreendido (bem pelo contrário…), mas o elevado preço por ele pago fará com que agarre a titularidade. No centro da defesa, a lesão de Vidic e os problemas físicos de Rio Ferdinand têm sido um duro revés aos objetivos dos “Red devils”, ficando-se à espera de mudanças. Na lateral direita, urge realizar-se uma contratação, enquanto que na esquerda não há tanta necessidade mas se alguém fosse transferido não existiriam grandes males. No meio-campo, há obrigatoriedade de se realizar algum reajustamento. No ataque, Alex Ferguson, está bem apetrechado de jogadores com qualidade acima da média.

Man. City: É estranho quando em todas as janelas de transferências, se fala no mesmo assunto: contratações e contratações. Este ano não é diferente, apesar de tantos jogadores espetaculares, os citizens continuam a pensar em alvos, embora indubitavelmente não haja necessidade para tal, veiculando-se nomes como van Persie,  Hulk e Alexandre Pato.

Chelsea: Um dos ricos ingleses tem sido um dos grandes animadores do mercado nos últimos anos. Na baliza Petr Cech recolhe total unanimidade. No eixo da defesa, também não há problemas, à semelhança da lateral-esquerda. Os Blues precisam claramente de um defesa-direito, já que Bosingwa não tem tomado completamente conta do recado. No meio-campo há quantidade e qualidade, enquanto que no ataque e apesar de alguma veterania, os resultados vão aparecendo.

Liverpool: Kenny Dalglish voltou a trazer esperança à cidade dos Beatles, porém nada se faz sem um bom investimento. Reina na baliza é à muito tempo incontestável. A defesa, embora algo jovem, também tem boa conta, embora tenham de se realizar algumas mexidas. No meio, também convém contratarem-se 1/2 jogadores, para fazer esquecer Gerrard (que está numa forma física deplorável). Andy Carrol está a tornar-se um verdadeiro flop, contrastando com o espetacular Luis Suárez, que tem brilhado a alto nível.
Arsenal: Ao olharmos o plantel do Arsenal a primeira coisa que nos vem à cabeça é juventude. A baliza poderá sofrer algumas alterações, na defesa, deveria juntar-se alguma experiência ao jogadores que já incluem o plantel. No meio-campo, Fábregas deixou órfão o Arsenal, que pese tenha contratado Arteta, necessita de outro centro-campista de luxo. Finalmente no ataque, a chegada de Henry é importante, mas uma vez que apenas está por empréstimo  durante dois meses, outra compra não seria de descartar.

AC Milan: Com a equipa no primeiro posto da Serie A, Massimo Allegri não tem muitos ajustamento por fazer. A posição de guarda-redes podia ser incrementada, já que é inequivocamente o ponto fraco dos rossoneri. De facto, nem Abbiati, nem Amelia, conseguem brilhar suficientemente. A defesa, como qualquer clube italiano que se preze, é coesa, organizada e bastante eficaz, não sendo por aí que existem problemas de maior. O meio-campo junta irreverência e experiência, com Kevin-Prince Boateng em foco. A frente de ataque é demolidora. Jogadores como Robinho, Pato (que poderá sair) e Ibrahimovic, são preponderantes para que os milaneses carburem e, porque não, revalidarem o título da Serie A italiana.
Inter de Milão: Depois de um início de época perturbante e mal-conseguido, respira-se ar fresco em Milão. Claudio Ranieri tornou-se técnico principal, e os neroazurri voltaram a acreditar.  A baliza está bem entregue, Júlio César é um dos melhores do Mundo na sua posição e é um dos estandartes desta equipa. A defesa é demasiado veterana, esperando-se uma lufada de ar fresco. A intermediária não funciona tão bem como com Mourinho, porém continua a ser preponderante. Sneijder é inequivocamente a cabeça-de-cartaz deste Inter renascido. O ataque, pese tenha grandes jogadores, tem sido mal-sucedio. Elementos como Diego Milito e Forlán, incompreensivelmente, não têm vindo a efetuar exibições esplendorosas, “safando-se” Pazzini que se tem revelado como uma boa aposta.

Juventus: "Mudasti!" A famosa frase publicitária assenta que nem uma luva nesta Juventus. Com um treinador que promete levar a Vecchia Signora aos tempos de glória da mesma, está tudo preparado para o início da revolução! Buffon, embora com vários problemas físicos, continua a ser o keeper de serviço. A defesa necessita urgentemente de laterais com valor indubitável, principalmente de um defesa-direito. No centro do campo, as coisas vão correndo bem, muito por culpa de Marchisio, que é um verdadeiro “todo-o-terreno”. O ataque, embora sem nomes muito sonantes, também tem dado cartas, principalmente devido ao “velho” Del Piero.
Bayern de Munique: De novo no rumo das vitórias, Jupp Heynckes promete remodelar uma parte da equipa. Na baliza Neuer, contratado no verão, não dá veleidades à concorrência. A defesa é segura e agressiva. O meio-campo é de combate, sendo muito virado para o ataque. Por fim a ofensiva é bem constituída. Ribéry, Robben, Müller e Mario Gómez são eficazes e chegam para os “bávaros”.

Lyon: Ainda a tentar recuperar o ceptro de vencedor da Ligue 1, o Lyon promete investir forte neste mercado. Lloris é completamente indiscutível na baliz, enquanto que a defesa é muito permeável. O meio-campo/ataque funcionam com fluência e com qualidade.

Fernando Machado